Nova espécie de sapo descoberta na "selva urbana" de Nova Iorque

Biólogos apanhados de surpresa ao encontrar sapos leopardo da Costa Atlântica próximo da Estátua da Liberdade.

Uma equipa de cientistas descobriu que uma nova espécie de sapos, do tipo vulgarmente chamado sapo leopardo da Costa Atlântica devido às marcas no seu dorso e à região onde habita, se desenvolveu na cidade de Nova Iorque.

A descoberta dos animais nos pântanos de Staten Island, junto ao porto da cidade e não muito longe da Estátua da Liberdade, está a fascinar os investigadores.

"É incrível e muito excitante que uma nova espécie de sapo se esconda à vista de todos na cidade de Nova Iorque", afirmou à CNN a bióloga da Universidade de Rutgers Joanna Burger, co-autora de um estudo sobre esta espécie publicado na revista científica PLOS One.

O habitat destes sapos vai da região do Connecticut até à Carolina do Norte, mas os especialistas não esperavam encontrar uma espécie distinta numa zona tão predominantemente urbana como Nova Iorque.

A descoberta vem ainda vingar postumamente o antigo diretor do zoo de Staten Island Carl Kauffeld que, em 1937, publicou um artigo no qual afirmava ter descoberto uma nova espécie de sapo na região, algo que foi então descartado por falta de provas.

Agora, utilizando tecnologia capaz de analisar a constituição genética dos animais, foi finalmente demonstrado que os animais desta zona são de facto distintos de outras duas espécies que se encontram no nordeste dos Estados Unidos.

Os cientistas decidiram então batizar dar à nova espécie o nome científico de Rana kauffeldi, em homenagem ao homem que, há 75 anos, a descobriu de facto.

"Após alguma discussão, concordámos que era a coisa certa a fazer. Quisemos reconhecer o seu trabalho e dar-lhe o crédito merecido, mesmo quase 80 anos depois", disse à página da Univerdidade de Rutgers Jeremy Feinberg, um dos principais investigadores deste estudo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG