Descodificado o veneno da cascavel

As cascavéis são responsáveis por grande parte dos acidentes por envenenamento em todo o mundo, mas as conclusões de uma equipa de investigação espanhola vão permitir melhorar a eficácia dos antídotos.

A pesquisa partiu de um projecto mais amplo, que visa compreender as bases moleculares da evolução deste tipo de venenos. O estudo, segundo o El Mundo, foi publicado no ‘ Journal of Proteome Research’ e vai melhorar a produção e eficácia dos antídotos que neutralizem a toxicidade do veneno destas serpentes.

Juan José Calvete, investigador do Conselho Superior de Investigações Científicas que liderou uma equipa do Instituto de Biomedicina de Valência, indicou que uma nova tecnologia permitiu caracterizar a composição proteica do veneno da cascavel norte-americana ‘Crotalus atrox’, que juntamente com a ‘Crotalus adamanteus’ é responsável pela maioria de acidentes por envenenamento nos Estados Unidos.

“Com esta nova tecnologia encontrámos proteínas enzimáticas implicadas no processamento de algumas toxinas do veneno, o que permitirá entender melhor a sua origem e evolução”, resumiu Calvete. O trabalho permitirá desenvolver anticorpos específicos, necessários para neutralizar a acção de cada família de toxinas e impedir a morte em caso de envenenamento. Actualmente, as serpentes são responsáveis por cerca de 100 mil mortes por ano em todo o mundo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG