Astronautas simulam missão a Marte isolados no deserto

A missão tentou imitar, na medida do possível, o que seria uma exploração humana na superfície do planeta vermelho.

Uma pequena equipa de astronautas e cientistas do Fórum Espacial Austríaco (OWF, sigla em alemão) terminou ontem uma simulação de uma viagem exploratória ao planeta vermelho num terreno análogo ao marciano, realizada durante todo o mês de fevereiro, no norte do deserto do Sara, próximo da cidade marroquina de Erfoud.

Veja o vídeo de divulgação da missão do OWF (em inglês):

A tripulação foi composta por cinco astronautas, que receberam preparação física e psicológica prévia, bem como técnicos de telecomunicações, um médico e vários mecânicos especializados. Eles permaneceram durante este tempo numa área de 64 quilómetros quadrados, completamente isolada durante toda a experiência por militares marroquinos.

Monitorados pelos especialistas do centro de suporte à missão, baseados na Áustria, os astronautas e técnicos puderam realizar experimentos de preparação para futuras missões humanas a Marte, principalmente nas áreas da engenharia, operações em superfície planetárias, astrobiologia, geofísica, geologia, entre outras.

O objetivo da missão, em que a NASA também está envolvida, foi saber como fazer uma exploração otimizada a Marte e testar os dispositivos de teste existentes, revelou à agência espanhola Efe o cientista Gernot Gromer, diretor do OWF. Desta forma, segundo ele, será possível verificar as falhas e pensar nas ferramentas e habilidades necessárias para executar uma provável viagem real ao quarto planeta do Sistema Solar.

Os especialistas consideram que a área escolhida para realizar os testes oferece os diferentes tipos de possíveis características geológicas presentes no planeta vermelho. Acreditam que, ao condizir experimentos num ambiente tão representativo, irão ganhar experiência operacional e entender as vantagens e limitações de realizar trabalhos científicos remotos noutros planetas.

Gromer revelou à agência espanhola que a simulação marroquina já permitiu chegar a resultados "excepcionais e surpreendentes", que serão reveladas mais tarde em publicações científicas.

Os resultados deste trabalho servirão de apoio para estudos posteriores, pois, como explicou o diretor do OWF à Efe, os materiais atualmente utilizados serão certamente superados e existirão outros muito mais sofisticados para uma viagem real a Marte, que segundo ele poderá tornar-se realidade dentro de duas ou três décadas.

A organização responsável pela missão, OWF, divulgou no seu canal do youtube vídeos que acompanham o trabalho dos astronautas e cientistas durante a simulação no deserto marroquino. Veja (em inglês):

Semana 1:

Semana 2:

Semana 3:

Mais Notícias

Outras Notícias GMG