À procura das naus afundadas ao largo de Grândola

Protocolo entre a Universidade Nova de Lisboa e o município alentejano lança projecto de arqueologia subaquática na região

A 7 de Dezembro de 1589, a nau espanhola Nuestra Señora del Rosario, carregada com 22,7 toneladas de ouro e prata, naufragou entre Tróia e a Comporta, na costa alentejana. Vasculhando em arquivos históricos espanhóis, o arqueólogo português Alexandre Monteiro conseguiu reconstituir a história do galeão espanhol e do seu trágico fim à vista de terra, e identificou os locais prováveis onde ele poderá repousar agora, enterrado na areia. Agora, o arquólogo quer procurá-lo, mas a sua investigação vai muito para além dessa nau, que é apenas a peça mais vistosa de um projecto que pretende fazer a carta arqueológica subaquática do concelho de Grândola.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG