VÍDEO: "Não se mandam cartas, mandam-se SMS"

O amor no tempo de Camilo era muito diferente daquele que sentem os jovens hoje em dia? O psiquiatra Daniel Sampaio considerou ontem que "o contexto mudou, não se mandam mensagens (cartas), mas mandam-se SMS". Mas não muito mais...

Na segunda parte da iniciativa Amor de Perdição na perspectiva dos amores juvenis de hoje", no Centro Cultural de Belém, inserido no conjunto de ciclos e conferências "CCB no CCB" que se estão a realizar para comemorar o 150.º aniversário da publicação do livro de Camilo Castelo Branco, realizou-se uma mesa-redonda onde, além de Sampaio, estiveram o poeta Fernando Pinto do Amaral e a professora Margarida Braga Neves.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG