Vasco Graça Moura recordado como poeta "inspirador"

As cerimónias religiosas do funeral de Vasco Graça Moura realizaram-se ontem na Basíica da Estrela e no cemitério dos Olivais. As cinzas do poeta, ensaísta, tradutor e político irão para a cidade do Porto, a sua cidade natal.

Diversas personalidades portuguesas, da política à cultura, marcaram presença na Basílica da Estrela, onde Graça Moura permaneceu desde domingo em câmara-ardente. O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, chegou pouco depois das 10.00, acompanhado pela mulher, Maria Cavaco Silva. Também assistiram à missa o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, a ex-ministra das Finanças Manuela Ferreira Leite, o ex-secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, o presidente da Portugal Telecom, Henrique Granadeiro e o ex-Chefe de Estado Ramalho Eanes e Manuela Eanes.

Sublinhando a importância da cultura, durante a missa, o padre Tolentino Mendonça recordou Vasco Graça Moura e o seu legado começando pela associação que o nome do poeta terá sempre com "A Divina Comédia", de Dante, que traduziu para português.

O poeta, escritor, ensaísta e tradutor morreu no domingo, aos 72 anos, vítima de cancro.

Mais Notícias