Uma noite dividida entre "O Renascido", "O Caso Spotlight" e... "Mad Max"

"Spotlight", DiCaprio, Brie Larson, Mark Rylance, Alicia Vikander, Iñárritu e "Mad Max", com seis Óscares, são os vencedores da noite

A cerimónia dos Óscares desta madrugada de segunda-feira terminou sem que ninguém pudesse clamar grande vitória. Enquanto O Renascido saiu do Dolby Theatre com três Óscares - Melhor Ator e Melhor Realizador e Melhor Fotografia - em termos numéricos foi Mad Max: Estrada da Fúria que venceu mais estatuetas (seis). E o Melhor Filme escolhido foi O Caso Spotlight (que também ganhou melhor argumento adaptado).

O Óscar de Melhor Ator para Leonardo DiCaprio foi simultaneamente o "previsto" - ele era o preferido entre os nomeados - e a consagração de uma carreira com 25 anos que tivera já cinco nomeações mas nenhum prémio.

No seu discurso, DiCaprio sublinhou a necessidade de defesa do ambiente e de lutar contra o aquecimento global. "Não tomemos o nosso planeta por garantido. Eu também não tomo por garantida a noite de hoje".

Já Alexandre Iñárritu, o realizador de O Renascido que recebeu o quarto Óscar, apelou ao fim das discriminações e dos preconceitos sociais: "Vamos garantir que a cor da pele seja tão irrelevante como o comprimento do seu cabelo".

E quando, após estes dois Óscares, O Renascido parecia lançado para a conquista de Melhor Filme, eis que surge o inesperado: O Caso Spotlight, de Tom McCarthy, recebe o galardão.

O filme que trata da cobertura jornalística que trouxe para a ribalta os abusos sexuais no seio da igreja católica - e cujo argumento original também foi premiado com um Óscar - é assim um dos grandes vencedores da noite: "Que este filme se transforme num coro que ecoe até ao Vaticano", disse Tom McCarthy no discurso de agradecimento.

Os seis Óscares de Mad Max: Estrada da Fúria, de George Miller, foram essencialmente para categorias técnicas (Melhor Guarda-roupa, Cenografia, Caracterização, Edição de imagem, Edição de som e Mistura de som).

A gala foi apresentada de forma bem conseguida por Chris Rock, que martelou várias vezes, com ironia, a questão do racismo de Hollywood, mas que também espetou algumas "farpas" naqueles que reagiram à falta de nomeados "não brancos" com boicotes ou outras manifestações mais radicais.

Entre os outros vencedores, destaque para Mark Rylance (Ponte de Espiões), britânico pela primeira vez nomeado e vencedor do Óscar para Melhor Ator Secundário, que bateu a competição de estrelas como Mark Ruffalo, Christian Bale, Tom Hardy ou Sylvester Stallone.

Entre as atrizes, Brie Larson (Quarto) foi a escolhida no papel principal, enquanto Alicia Vikander (A Rapariga Dinamarquesa) foi a melhor num papel secundário.

No campo musical, dois momentos emocionantes: o Óscar de Melhor Banda Sonora entregue ao veteraníssimo Ennio Morricone (Os Oito Odiados) -- que mereceu uma ovação de pé e discursou em italiano - e a interpretação de Till It Happens To You (do filme The Hunting Ground) de Lady Gaga, que terminou rodeada de vítimas de violação e abusos sexuais.

Mas quem levou o Óscar para Melhor Canção Original foi Sam Smith, por Writing's on the Wall (do James Bond Spectre). O cantor fez questão de dedicar o prémio à comunidade LGBT.

Veja aqui os vencedores em todas as categorias:

Melhor ator principal: Leonardo DiCaprio (O Renascido)

Melhor ator secundário: Mark Rylance (Ponte de Espiões)

Melhor atriz principal: Brie Larson (Quarto)

Melhor atriz secundária: Alicia Vikander (A Rapariga Dinamarquesa)

Melhor filme de animação: Inside Out - DivertidaMente

Melhor filme: O Caso Spotlight

Melhor cinematografia: O Renascido

Melhor figurino: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor realizador: Alejandro Iñárritu

Melhor edição: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor filme de língua estrangeira: Son of Saul (Hungria)

Melhor maquilhagem e penteado: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor design de produção: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor edição de som: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor mistura de som: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhores efeitos visuais: Ex Machina

Melhor banda sonora original: Os Oito Odiados (Ennio Morricone)

Melhor argumento original: O Caso Spotlight (Josh Singer e Tom McCarthy)

Melhor curta documental: A girl in the river: The price of forgiveness

Melhor documentário: Amy

Melhor curta metragem de animação: Bear Story

Melhor curta metragem: Stutterer

Melhor canção original: Spectre (Writing's on the Wall)

Melhor argumento adaptado: A Queda de Wall Street

Mais Notícias