Tupac Shakur merecia outro retrato

ALL EYEZ ON ME, Benny Boom

Como fazer um retrato cinematográfico de Tupac Shakur (1971-1996)? A resposta dada aqui é, no mínimo, desatenta, porventura desrespeitadora. Em vez de sublinhar a riqueza poética da sua escrita - e, através dela, o seu lugar fundamental na história do rap e do hip hop -, a encenação vai convertendo tudo em episódios desconexos de um vulgar "filme de gangs". Não que as mais trágicas formas de violência sejam estranhas à história de Tupac.

Bem pelo contrário - o certo é que, tal como as coisas se apresentam, e apesar dos esforços do protagonista Demetrius Shipp Jr. e Danai Gurira (no papel da mãe), nunca se ultrapassa uma visão anedótica, tendencialmente pitoresca. Rezam as crónicas que o filme passou por muitos problemas e conflitos de produção... e não há dúvida que os resultados são o reflexo de um projeto à deriva.

Classificação: * medíocre

Mais Notícias

Outras Notícias GMG