Tudo sobre a minha mãe

Nick Willing, mais conhecido pela ficção, ouviu as histórias da sua mãe, Paula Rego, e o resultado é um documentário espantoso.

Parece aqueles lugares-comuns mais enjoativos: "Paula Rego como nunca foi vista." Na verdade, o filme de Nick Willing tem esse "feito", mesmo quando não foi esse o objetivo. O filho de Paula Rego, o cineasta Nick Willing, quis sobretudo filmar as histórias e os segredos que a mãe aos 82 anos lhe contou. Dádiva de mãe, pois então. Mas os segredos e a histórias da artista portuguesa remetem sempre para as suas obras. Nesse sentido, o documentário é uma fusão orgânica de arte e vida, um retrato de artista onde as barreiras do "privado" e do "artístico" se fundem. Paula Rego - Histórias e Segredos é uma deslumbrante tese de como tocar na pungência da intimidade. Neste caso, uma intimidade intimidante, daquelas que vão fazer que respeitemos e amemos ainda mais a obra de Paula Rego.

Focado em confissões de mãe para o filho, o filme abre o percurso artístico da pintora, sempre na primeira pessoa. Dos seus tempos como estudante em Londres até ao presente, onde assistimos ao seu processo de trabalho no seu ateliê. Em fundo está a história de amor com o pintor Victor Willing, o marido que marcou sempre a sua vida. Uma love story com fantasmas e confissões sexuais.

Personagem de cinema extremada, Paula Rego revela-se também uma feiticeira de histórias. Uma mulher que viveu. Ao mesmo tempo, é uma conversa de mãe para filho. É qualquer coisa de herança viva. E os segredos contados, sobretudo as histórias de erotismo, dão um sentido diferente aos seus quadros. Acima de tudo, lembramo-nos de que os maiores segredos são sempre material de cinema.

Se este é um filme de mãe para filho, é também um compêndio sobre a arte e a vida. Sempre com o tempo certo do inaprisionável encanto das imagens e fotografias de arquivo. Afinal, a dádiva também é a do filho, cineasta que inventou um documentário com as suas próprias leis.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG