Temporada Darcos arranca este sábado em Torres Vedras

Na sua 8.ª edição, a Temporada Darcos de música clássica, com direção artística do compositor e maestro Nuno Côrte-Real, começa este sábado (21.30, Teatro-Cine de Torres Vedras) com um convidado muito especial: o pianista Artur Pizarro sobe ao palco para interpretar o 'Quinto Concerto, dito 'Imperador'', de Beethoven, acompanhado da Orquestra Metropolitana de Lisboa, com Nuno Côrte-Real a dirigir. Completa o programa a 'Sinfonia n.º 8, op. 93', do mesmo Beethoven.

A temporada prolonga-se até dezembro e consta de mais sete propostas, quatro das quais de música de câmara, a cargo do Ensemble Darcos (agrupamento residente da temporada), nas seguintes datas: 11 de março, 24 de maio, 20 de junho, 2 de novembro (concerto transmitido em direto na Antena 2) e 12 de dezembro, sendo de notar que o concerto de 24 de maio (no Teatro-Cine) é um projeto infantil de que abaixo falaremos.

Os restantes três eventos são um concerto lírico (5 de abril, Teatro-Cine), um segundo concerto orquestral (10 de outubro, Teatro-Cine) e o referido concerto pedagógico.

O espetáculo lírico assume-se como uma homenagem a Vasco Graça Moura, no mês em que passa um ano sobre o seu falecimento e propõe um conjunto de excertos da ópera 'Banksters' (2011), de Nuno Côrte-Real, para a qual Vasco Graça Moura escreveu o libreto (a partir de Régio). Com direção musical do compositor, participam os cantores Dora Rodrigues, Maria Luísa de Freitas, Luís Rodrigues, Mário João Alves e Job Tomé, sendo ainda convidado o Coro Ricercare. Toca o Ensemble Darcos.

O segundo concerto com orquestra tem por solista o pianista Adriano Jordão, que tocará o 'Concerto n.º 3' de Beethoven, acompanhado da Orquestra do Norte. Nuno Côrte-Real dirige essa obra e também a 'Sinfonia n.º 1' de Brahms, que preenche a segunda parte.

Por fim, o concerto pedagógico porá mais de uma centena de crianças de escolas do ensino básico do concelho de Torres Vedras em palco, para cantar em estreia a obra 'Cancioneiro Infantil', de Côrte-Real, num concerto de que consta ainda o 'Trio, op. 114', de Brahms.

Nas propostas de música de câmara, o destaque vai para o concerto de 20 de junho, nos claustros da Igreja da Graça de Torres Vedras: ao Ensemble Darcos em formato-quarteto de cordas+piano junta-se o Yogistragong, orquestra de gamelão indonésio criada por Elizabeth Davis, percussionista da Sinfónica Portuguesa. Ouve-se o 'Quarteto' de Debussy, uma nova obra de Nuno Côrte-Real para gamelão e quarteto de cordas, para além de peças da tradição musical indonésia para ensemble de gamelão.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG