"Otelo" abre nova temporada do Teatro D. Maria II

A peça Otelo, de William Shakespeare, abre na quinta-feira a temporada do Teatro Nacional D. Maria II (TNDM) que projeta apresentar cerca de 25 títulos até julho de 2015, além de diversas atividades paralelas.

"Otelo" é apresentado no âmbito do programa Gulbenkian Próximo Futuro e do Festival Santiago a Mil.

A programação nas duas salas do TNDM -- a Estúdio e a Garrett -- inclui textos de Raul Brandão, Molière, Luidgi Pirandello, Pier Paolo Pasolini e Martim Pedroso, entre outros.

A tragédia "Shakespeare" abre o cartaz da sala Garrett e "A Farsa", de Raul Brandão, pela associação Karnat abre, no dia 25, a da sala Estúdio.

Luís Castro, da associação Karnat, disse hoje que Raul Brandão é um autor que "retrata a portugalidade de forma justa". Esta peça é apenas interpretada por Sara Carinhas.

A companhia Teatro da Cornucópia volta a colaborar com o TNDM, com a apresentação de "Pílades", uma tragédia de Pier Paolo Pasolini, encenada por Luís Miguel Cintra e que sobe à cena na sala Garrett em outubro.

Em janeiro assinala-se o regresso ao palco do Nacional do ator Diogo Infante no papel de "Cyrano de Bergerac", uma peça de Edmond Rostand, encenada por João Mota, diretor do D. Maria II e que conta no elenco com Virgílio Castelo, João Grosso e Joana Cotrim, entre outros.

Hoje, na apresentação da programação, João Mota enfatizou a importância do ensino artístico nas escolas e da sua ligação às áreas da cultura.

"O ensino artístico faz muita falta nas escolas", disse, defendendo que o teatro e a educação artística proporcionam aos mais novos "instrumentos fundamentais para o crescimento", como a improvisação, a espontaneidade e até o conhecimento da linguagem corporal.

"Chegou o tempo de se pensar seriamente no papel do ensino artístico na educação. O teatro, enquanto arte de afetos, ensina-nos a trabalhar e a respeitar o outro", sublinhou João Mota.

Esta ideia foi também defendida pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, que esteve presente no início da apresentação da temporada 2014/2015 do TNDM.

Barreto Xavier adiantou que ia ficar "pouco tempo na sessão", invocando assuntos de agenda, mas considerando que a sua presença pretende "dar um sinal e dar a cara pelo serviço público de cultura", mas realçou que "não se deve confundir com interferência na programação".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG