José Pedro Gomes: "contribuiu muito" para público voltar

O actor José Pedro Gomes, amigo e parceiro de trabalho de António Feio, durante mais de trinta anos, destacou hoje que o encenador 'contribuiu muito para que o teatro voltasse a encontrar-se com o público'.

'É uma perda muito grande para os amigos e para todos os portugueses', disse José Pedro Gomes à agência Lusa a propósito do falecimento de António Feio, na quinta feira à noite, no Hospital da Luz, em Lisboa, vítima de cancro no pâncreas.

Conhecidos pela dupla da 'Conversa da Treta', que apresentaram primeiro na televisão, depois no teatro e cinema, António Feio e José Pedro Gomes personificaram Toni e Zezé, os dois amigos que satirizavam uma certa forma de estar dos portugueses.

'Era um grande amigo, e um homem cheio de coragem', destacou o actor que acompanhou António Feio sobretudo a partir dos anos 1990 também em espetáculos como 'O Que diz Molero', de Diniz Machado, 'Arte', de Yasmina Reza, 'Dois Amores', de Ray Conney, e 'Jantar de Idiotas', de Francis Veber.

Ao longo dos anos surgiu 'uma amizade muito forte e uma grande cumplicidade' entre ambos.

'Chegámos a um entendimento precioso', disse ainda o ator, avaliando a perda que para ele significa o culminar da luta contra a doença que vitimou António Feio.

Nascido em Moçambique em 1954, António Feio estreou-se no teatro com Carlos Avillez, que o convidou para entrar na peça 'O Mar', de Miguel Torga, no Teatro Experimental de Cascais (TEC), a 06 de maio de 1966, tinha apenas 11 anos.

O funeral do ator realiza-se no sábado a partir das 16:00 para o cemitério dos Olivais, em Lisboa.

Veja o vídeo


Mais Notícias

Outras Notícias GMG