Realizador Pedro Costa lamenta "miséria total" da indústria do cinema

O realizador português Pedro Costa lamentou hoje em Sevilha, Espanha, que a indústria cinematográfica viva um momento de "miséria total", com um "cinema que não funciona, é escapista, não ouve e esbanja".

Pedro Costa falava aos jornalistas depois da apresentação do filme "Cavalo Dinheiro", que integra o Festival de Cinema Europeu de Sevilha, que começou no dia 7.

Afirmando que o filme custou cerca de 100.000 euros, Pedro Costa admitiu que os realizadores pensam muito em dinheiro "porque não o têm".

"Cavalo Dinheiro" revisita a revolução de 25 de abril de 1974 e tem o objetivo de "esclarecer histórias mal contadas", afirma Pedro Costa, citado pela agência de notícias Efe.

O filme, que tem estreia comercial em Portugal a 4 de dezembro, foi exibido pela primeira vez no verão no Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, onde recebeu dois prémios.

"Cavalo Dinheiro"é protagonizado por Ventura, o cabo-verdiano que entrou no filme "Juventude em Marcha" e que Pedro Costa conheceu na rodagem de dois outros filmes no bairro das Fontaínhas (já demolido), nos arredores de Lisboa: "Ossos" (1997) e "No quarto da Vanda" (2000).

A partir de 2015 o filme estreará nos Estados Unidos, Reino Unido, França, Bélgica e Japão.

No Festival de Cinema Europeu de Sevilha, que termina no dia 15, "Cavalo dinheiro" volta a ser exibido na terça-feira.

Fora de competição, o festival sevilhano conta também com a curta-metragem "O velho do Restelo", de Manoel de Oliveira, a exibir na terça e quarta-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG