Quando a rainha conduz os miúdos no museu e no palácio

As visitas guiadas por D. Maria Ana de Áustria e D. Maria Pia pelo Museu dos Coches e o Palácio da Ajuda esgotam num ápice. E Felisa Pérez, da COOLture Tours, quer expandi-las

"O maior de todos os mundos é o avião", lança um miúdo. "Isso não é do meu tempo, já me explicas", responde D. Maria Ana de Áustria, feita rainha de Portugal pelo casamento com D. João V - "casei com o rei mais poderoso e mais rico que Portugal tinha, senão eu não vinha", diz. "Tem asas", tenta ainda ajudar outro dos rapazes, procurando resgatar a rainha ao século XVIII para que esta entendesse que o avião já era uma opção, face ao coche à sua frente.

Os fins de semana de Felisa Pérez têm sido quase todos assim: vestida de rainha, a conduzir um grupo de crianças e suas famílias pelo Museu dos Coches ou pelo Palácio Nacional da Ajuda. Naquele domingo estávamos no museu, onde chegámos pela "máquina do tempo", vulgo, o elevador. Ali, Felisa, feita D. Maria Ana, explicava que o espanhol D. Filipe II enjoava muito - e daí o buraco no coche, para vomitar -, que a coroa que ela usa é de arquiduquesa, ou, ainda, que o dragão - "animal que o Manel adora, não é Manel?", perguntava ao aniversariante daquele dia - simboliza a dinastia do seu marido D. João V: os Bragança.

"Os animais, os símbolos, são ganchos fundamentais. Parece que é complicadíssimo explicar tudo isto a uma criança, mas a partir do momento em que temos leões, águias, ou que o dragão é o símbolo de uma dinastia, eles estão em casa." Antes da escolha desses símbolos em que ancora a explicação, já houve "um estudo exaustivo de cada coleção, de cada museu. É essencial ter a ajuda e apoio do espaço na recolha bibliográfica, de fontes. A partir dai é desconstruir", explica Felisa.

Perante o majestoso Coche dos Oceanos, lá estavam os animais, de novo. "O golfinho é o meu animal preferido", lançava uma rapariga. Outra reparava que o que tinha à frente pouco se parecia com um. Felisa explicou-lhe que nem sempre "os senhores" que faziam aqueles animais tinham visto exemplares dessa espécie. Também vemos a águia no "coche do meu filho", diz, referindo-se a D. José I. "Não é por ser do Benfica, é porque simboliza o poder."

A rainha pergunta depois, ainda em frente ao Coche dos Oceanos, por Vasco da Gama. "É uma ponte", ouve-se. Felisa explica que ele "foi à Índia buscar canela para os pastéis de nata. Tão bom!" E remata: "Nós os portugueses unimos os quatro continentes do mundo dos o Vasco da Gama, foi o que o meu marido quis dizer [com o coche]."

Felisa Pérez - o nome é espanhol, ela portuguesa - é licenciada em História. Quando decidiu fazer o mestrado em Museologia, tornou-se voluntária deste mesmo museu, então ainda no Picadeiro Real. Agora conta dez anos de trabalho em serviço educativo. Ajudou a criar o do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, trabalhou no museu da Fundação Lázaro Galdiano, em Madrid, e, por cá, no castelo de São Jorge. Além disso, fez ainda trabalho de assistente no ateliê de Joana Vasconcelos.

Tudo isso a levou até ao momento em que, em junho do ano passado, criou a COOLture Tours, que começou a sua atividade ali mesmo no Museu dos Coches. Desde então, em grupos de 12 a 15 crianças para o Palácio da Ajuda e de 15 a 20 para o Museu dos Coches - sempre a partir dos três anos - , as marcações das famílias têm esgotado num ápice (a visita custa 5,5 euros por criança e por adulto além do acompanhante, este último só paga o bilhete do museu). Além destas, há ainda visitas para escolas e ATL (3,75 euros por criança).

No museu, a visita acaba no coche "da troca das princesas" de Portugal e Espanha, em que a rainha se despediu da sua filha Maria Bárbara. Há uma encenação da troca, com os miúdos mascarados de príncipes, princesas ou de rei, caminhando sobre uma passadeira vermelha, a três passos dos turistas que admiram os coches.

Felisa tem memórias vivas de quando os pais a levavam aos museus, lembra-se das histórias que ouvia, mas também sabe que "muitas vezes para um pai ou uma mãe que vem com três filhos ao museu, um ainda ao colo, é difícil ler e saber a história para a contar".

"Acho que é importantíssimo deixar essa mensagem aos pais: visitem museus com os filhos, preparem os filhos", avisa. "No Palácio da Ajuda tenho miúdos que vêm para as visitas com o livro da História de Portugal debaixo do braço. Ou uma criança de cinco anos que mal me viu disse: "Tu estás vestida de preto porque mataram o teu filho e o teu neto."" No palácio, Felisa é D. Maria Pia. "Estão sempre doidos para ver o rei. Como o D. Luís era oficial da marinha, eu digo sempre que eles depois vão ver lá em cima como o rei foi passear de barco com os príncipes".

Neste mês haverá um novo percurso no Museu dos Coches, no próximo mês, a COOLture Tours anunciará um novo palácio para as suas visitas, e depois ainda um novo museu. A equipa será alargada. Além das visitas, a empresa também vai às escolas "para apresentar a história de forma criativa".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG