Presidente da Casa da Música mantém-se no cargo

O novo Conselho de Administração do equipamento cultural decide reconduzir no cargo o presidente José Manuel Dias da Fonseca. Rita Silva Rodrigues e José Pena do Amaral assumem a vice presidência, enquanto Paulo Sarmento e Cunha passa a ser a diretor geral.

José Manuel Dias da Fonseca mantém-se como presidente da Casa da Música, no Porto. Assim decidiu o novo CA, nas votações que ocorreram no dia de ontem.Em voto secreto, o CA escolheu ainda Rita Silva Rodrigues, gestora e administradora da empresa Barbosa & Almeida, e José Pena do Amaral, economista e administrador do BPI, para assumirem em conjunto o cargo de vice- presidentes.

Já Paulo Sarmento e Cunha deixa o departamento financeiro para passar a ser o novo diretor geral da fundação, posto que substitui o de administrador delegado, que foi desempenhado pelo demissionário Nuno Azevedo. António Jorge Pacheco continua ainda como director artístico e de educaçãoOs privados ganham expressão nestas eleições, que foram protagonizadas pelo novo CA nomeado no passado dia 22 de março.

Desde então foi-lhes delegada a responsabilidade de eleger a sua própria presidência. A completar a lista deste novo elenco, surge ainda José Manuel dos Santos, o diretor cultural da fundação EDP, escolhido pelos privados.

O musicólogo Jorge Manuel Castro Ribeiro e o advogado Nuno Lopes Cardoso foram os eleitos pelo Estado, enquanto Maria Amélia Cupertino de Miranda passou a ser a representante da Câmara Municipal do Porto e da Junta Metropolitana do Porto.

Estas foram as individualidades eleitas na reunião do Conselho de Fundadores, no passado dia 22 de março, como consequência da demissão em bloco do antigo Conselho de Administração da Casa da Música. Em causa está o protesto contra o corte orçamental de 30% por parte do Estado, quando o esperado era apenas 20%. O novo CA desempenhará funções até 2014.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG