O Zé Povinho da Bulgária

"Glória", de Petar Valchanov e Kristina Grozeva

Não é coisa intuída o que a câmara desta dupla de realizadores búlgaros consegue em Glória. A observação aqui troca as voltas aos dados sociais que estamos habituados a ver nos filmes da chamada vaga romena.

Estes búlgaros carregam o fait-divers com uma camada asfixiante diferente, quase sempre paredes meias com um tal realismo intocável e um humor absurdo.

A história anda às voltas com a improvável quezília entre um empregado dos caminhos de ferro e uma relações públicas do Governo.

Tudo porque o senhor foi galardoado pelo ministro e a RP esqueceu-se de lhe devolver o relógio que guarda do pai. Os mal entendidos como fonte de um mau-estar social de uma Bulgária tocada pela corrupção e pelo egoísmo.

Filma-se o ridículo humano e a destruição do zé-ninguém. Mas esse zé-ninguém é também o Zé Povinho que os búlgaros chutam para debaixo do tapete...

Classificação: **** (Muito Bom)

Mais Notícias

Outras Notícias GMG