O homem que mudou a América

Snowden, Oliver Stone

Para filmar o caso Snowden, Oliver Stone faz o inesperado: constrói uma subtil teia humana onde se ensaia o peso da nossa intimidade, neste caso a intimidade (romântica, assim mesmo) do próprio Edward.
Stone não quis fazer um "biopic" puro e simples.

No limite, é uma declaração sobre os anjos caídos desta América de hoje. A vida de Snowden e a sua denúncia, que aparecem de forma cinematográfica quando não estamos à espera, funcionam como paradigma dos desígnios daquilo que se entende como patriotismo americano.

Mas é também um thriller político enxuto e de carácter perturbante. Stone fez um espetáculo moral para os americanos. Um espetáculo sem medo de expor marcas de teoria de conspiração. Uma conspiração contida e em verdadeiro formato de investigação.


O grande cinema liberal ainda nora em Hollywood (mesmo quando os financiamentos vêm de fora...) e faz-nos questionar onde mora o bem e o mal nesta América das secretas criada por George W. Bush. Se quisermos, um filme tocado pelo dever patriótico. À luz do tempo, daqui a uns anos vai ser muito estudado...

Classificação: **** muito bom

Mais Notícias

Outras Notícias GMG