Morte de Amy Winehouse vai ser reavaliada

As conclusões da investigação sobre as circunstâncias da morte da cantora Amy Winehouse vão ser reavaliadas, depois de ter sido descoberta uma irregularidade no processo, anunciou hoje um porta-voz das autoridades de Camden, norte de Londres.

Suzanne Greenaway, mulher e assistente do médico legista que supervisionou o inquérito, renunciou ao cargo em novembro de 2011 depois de as suas qualificações terem sido questionadas, tendo em conta que não possuía os cinco anos de prática exigidos no Reino Unido para intervir na investigação.

Greenaway tinha sido nomeada para o cargo pelo seu marido, Andrew Reid, ele próprio médico legista numa outra zona de Londres. Também Reid se demitiu este mês, depois de ser anunciado um processo disciplinar contra ele.

Greenway concluiu, em outubro de 2011, que a cantora tinha morrido acidentalmente como resultado da ingestão de uma grande quantidade de álcool, depois de um longo período de abstinência.

A nova audiência será realizada a 8 de janeiro, no tribunal 'St. Pancras', no bairro onde morava Amy Winehouse.

A cantora morreu aos 27 anos de idade, depois de ter ganho cinco prémios 'Grammy'. Desde a sua morte, o seu último álbum, 'Back to Black', bateu todos os recordes de vendas do século XXI.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG