Cavaco Silva salienta "potencial económico" do fado

O Presidente da República, Cavaco Silva, defendeu hoje que o fado dá um "contributo inestimável" para a divulgação da cultura portuguesa e a "projeção de Portugal no exterior", tendo "um potencial económico de elevada relevância".

"Para além do seu inegável valor como expressão da nossa cultura, o fado possui também um potencial económico de elevada relevância para o país. O seu impacto positivo nas empresas ligadas ao audiovisual e à produção de espetáculos, e a criação de postos de trabalho, têm sido uma constante nesta trajetória de sucesso", declarou Cavaco Silva.

O Presidente da República falava na cerimónia de condecoração dos fadistas Ana Moura, Carminho, Kátia Guerreiro e Ricardo Ribeiro, e do guitarrista e compositor Mário Pacheco, que decorreu no Museu do Fado, em Lisboa, onde Cavaco Silva foi recebido pelo presidente da Câmara da capital, António Costa.

Na cerimónia de entrega da Comenda da Ordem do Infante D. Henrique àqueles artistas, o Chefe de Estado afirmou que "a capacidade de renovação do fado é visível no aumento vertiginoso do número de discos editados e vendidos, de espetáculos produzidos e esgotados, de prémios conquistados".

"Tudo isto representa um contributo inestimável para a divulgação da nossa cultura e para a projeção de Portugal no exterior", sustentou.

Mais Notícias