A voz humana inspira os 60 concertos dos mil músicos

A voz humana é o tema dos Dias da Música que acontecem no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, de 27 a 29 de abril, durante os quais se realizarão 60 concertos e um baile.

Com o mesmo orçamento global do ano passado - 650 mil euros -, os Dias da Música reunirão cerca de mil músicos e apresentam em estreia absoluta a peça "Descubro a voz", encomendada ao compositor Luís Tinoco.

Francisco Sassetti, do CCB, falando hoje aos jornalistas sobre os Dias da Música, afirmou que "a proposta é um percurso pela história da voz desde a Idade Média aos nossos dias".

O responsável disse que "foi dada uma especial atenção à música antiga, com destaque para o período barroco, pois é menos representada nas anteriores edições".

Sassetti disse ainda que houve a preocupação de equilibrar "representatividades regionais, música sacra e profana e corais e recitais".

Além de Luís Tinoco, o outro compositor português atual que integra a programação é Eurico Carrapatoso, de quem se ouvirá "Pequeno poemário de Sophia".

Da programação constam ainda outros portugueses, entre eles D. Dinis, Manuel Machado, Manuel Rodrigues Coelho, Diogo Dias Melgaz, Vianna da Motta, Fernando Lopes-Graça.

Entre as estreias modernas destacam-se as de obras do século XVIII como a Sonata "I a tre", do português Pedro António Avondano, "Lascia mi peso, o cara" e "Care luci che regnate", recitativo e ária de Francisco António de Almeida, ou o "Concerto a flauto traverso, due violini, viola e basso", de Gaetano Maria Schiassi.

Os 60 concertos dos Dias da Música dividem-se por sete salas e uma tenda com baile, além das atividades paralelas para crianças, organizadas pela Fábrica das Artes, os pianos espalhados pelos espaços do CCB, que todos podem tocar, e o conjunto de palestras intitulado "" conversa com...".

"O projeto 'Escolas em palco' não foi possível apresentar este ano", disse Miguel Leal Coelho do CCB, que justificou pelo facto de a Agência Nacional de Qualificação, com quem é feita parceria "não poder participar".

"Há todavia a participação de algumas escolas no espaço livre, como por exemplo do Coro Infantil da Academia de Santa Cecília, que atua juntamente com o Coro da Fundação Príncipe das Astúrias, acompanhados pela Orquestra Sinfónica Metropolitana, para interpretarem os 'Carmina Burana', de Carl Orff", disse Leal Coelho.

Os Dias da Música abrem com a ópera "Dido e Eneias", de Henry Purcell, em versãode concerto pelo The King's Consort, e a programação conta ainda, entre outros participantes, com a Orquestra de Câmara Portuguesa, as cantoras líricas Ana Ester Neves, Ana Paula Russo e Ana Quintans, a orquestra de época Divino Sospiro, o Coro de Câmara Filarmónico da Estónia, o Huelgas Ensemble, os fadistas Camané e Ricardo Ribeiro, a Capilla Flamenca, o Quarteto de Leipzig, o tenor Werner Gura, o barítono Florian Boesch, o Le Concert d'Ouest ou as Vozes Caelestes.

A organização propõe seis itinerários diferentes para "percorrer" os Dias da Música: "Música Coral", "Vozes barrocas", "Lied, mélodie e outras canções", "Diversidade" e dois percursos alternativos sob a mesma égide, Espírito Livre".

A venda dos 29.492 bilhetes ao grande público - este ano mais caros 50 cêntimos - tem início terça-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG