65 concertos nos Dias da Música do CCB

Subordinada ao tema "Da Europa ao Novo Mundo", a programação da edição deste ano de Dias da Música, do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, tem uma oferta variada.

"Paraísos Artificiais" (1910), de Luís de Freitas Branco, é a composição que abre a iniciativa, disse hoje o presidente do conselho de administração do CCB, António Mega Ferreira, sublinhando tratar-se da primeira vez que a iniciativa abre com uma composição de um português.

A edição deste ano de Dias da Música vai abranger o período entre 1883, ano da morte de Richard Wagner, e 1945, quando termina a Segunda Grande Guerra.

O orçamento da iniciativa é de 650 mil euros (o mesmo que em 2010), segundo o presidente do CCB, para quem são expectáveis 250 mil euros de receitas de patrocínios e que, dos 224 mil possíveis da receita de bilheteira, espera que provenham entre 180 a 190 mil euros.

Os bilhetes para a edição deste ano vão custar mais 50 cêntimos do que na edição anterior, referiu.

Obras de 88 compositores, entre os quais Ravel, Strauss, Kurt Weil, Rachmaninov, Stavinsky, Copland, Shostakovich, Gershwin, Mahler, Janacék, Dvorak, Manuel de Falla, Astor Piazzola ou Heitor Villa-Lobos, vão ser tocadas nos três dias de Dias da Música.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG