Monterroso Teixeira lidera OPART

Nova equipa de gestão para o Organismo de Produção Artística que gere o Teatro Nacional de São Carlos, a Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Companhia Nacional de Bailado

José de Monterroso Teixeira é o novo presidente do conselho de administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que faz a gestão do Teatro Nacional de São Carlos, da Orquestra Sinfónica Portuguesa e da Companhia Nacional de Bailado. A nomeação foi revelada, em comunicado, pelo gabinete do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, uma decisão tomada durante a reunião de Conselho de Ministros de hoje. Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões foi nomeada vogal. As nomeações, que têm parecer positivo da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap), têm "efeito a partir de hoje", lê-se no comunicado.

José António Falcão, que exercia a presidência do Opart, e o vogal João Rodrigues Consolado foram exonerados, mantendo-se, como vogal da administração, o pianista Adriano Jordão.

José de Monterroso Teixeira, doutorado em História pela Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões, desempenhou, entre outros, os cargos de diretor do Museu Biblioteca da Fundação da Casa de Bragança, do Paço Ducal de Vila Viçosa, do Museu de Évora (1988-1992) e do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém (1992-1997). Entre 2002 e 2006 foi Diretor-Geral de Cultura da Câmara Municipal de Lisboa. Comissário da representação oficial portuguesa na Bienal de Veneza de 1995 e de exposições como Triomphe du Baroque, que integrou a Europália 91 em Bruxelas e Splendours of Portugal, Five Centuries of Portuguese Art, que esteve em 1997 no Tokyo Fuji Museum of Art, também comissaria a exposição temporária Franco Maria Ricci, patente no Museu Nacional de Arte Antiga.

Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões é licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Entre 2011 e 2014 exerceu o cargo de vogal do Conselho de Administração do Teatro Nacional D.Maria II, EPE com a responsabilidade da área financeira. Em 2011 foi nomeada como diretora de serviços de gestão de recursos da Inspeção-Geral das Atividades Culturais. Antes disso, durante 14 anos (1996-2010) esteve na Câmara Municipal de Lisboa, como técnica superior na área de Economia e Finanças.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG