Ministro da Cultura manifesta pesar pelas mortes de Ferreira Gullar e Hugo Ribeiro

O ministro da Cultura manifestou hoje pesar pela morte de Ferreira Gullar, prémio Camões em 2010, e de Hugo Ribeiro, técnico de som que gravou alguns dos mais destacados nomes da música portuguesa.

Numa nota enviada à agência Lusa, Luís Filipe Castro Mendes afirmou que Ferreira Gullar "será para sempre um dos 'imortais' da literatura, conforme reconhecido pela Academia brasileira das Letras".

Distinguido em 2010 com o prémio Camões, o mais importante galardão literário da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Ferreira Gullar deixa uma "vasta obra nas áreas da poesia, ensaio, crítica de arte, dramaturgia, biografia e tradução", sublinhou o ministro português.

Ferreira Gullar morreu hoje no Rio de Janeiro, aos 86 anos, de pneumonia.

Sobre Hugo Ribeiro, Luís Filipe Castro Mendes destacou uma "personalidade que ficará sempre associada à história da música em Portugal".

"Têm o seu cunho as gravações dos mais importantes artistas nacionais. Várias gerações depositaram a maior confiança no seu talento e a quem neste momento nos juntamos expressando também pública gratidão", disse.

Hugo Ribeiro morreu no sábado, em Lisboa, aos 91 anos.

O ministro da Cultura apresentou ainda condolências às duas famílias.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG