Maioria dos espectadores não pagou bilhete em 2010

Mais de 10 milhões de espectadores assistiram a espectáculos ao vivo em Portugal, em 2010, mas apenas 4,6 milhões pagaram bilhete, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com os indicadores de Cultura referentes a 2010, registaram-se nesse ano 30.088 sessões de espectáculos ao vivo, o que inclui teatro, ópera, concertos de música clássica e ligeira (pop rock, por exemplo), dança, circo ou tauromaquia.

Nesses espectáculos estiveram 10,2 milhões de espectadores, praticamente o mesmo número que em 2009, mas apenas 4,6 milhões pagaram bilhete. Em 2009 tinham sido 4,1 milhões a pagar bilhete.

No total, em 2010 registaram-se receitas de 85,2 milhões de euros nos espectáculos ao vivo, mais 10,3 por cento do que em 2009 (62,8 ME).

O INE fez um cálculo do preço médio de bilhete nos concertos de música ligeira, que rondou os 28,5 euros, enquanto o preço de uma entrada para um espectáculo de teatro foi de 9,1 euros.

Do total de sessões de espectáculos, o teatro ainda é o que representa a maior fatia (42 por cento), mas apenas registou 8,2 milhões de euros de receita de bilheteira.

Foram os concertos de música ligeira (que incluem festivais de verão) que registaram maior número de espectadores, 3,8 milhões, e geraram mais receita de bilheteira, 50,3 milhões de euros.

Em 2010, segundo o INE estavam em funcionamento 367 recintos de espectáculos, entre auditórios, teatros, cineteatros e salas polivalentes.

No cinema, o INE reporta os dados estatísticos já conhecidos do Instituto do Cinema e Audiovisual referentes a 2010, que dão conta de 16,6 milhões de espectadores (mais 5,34 por cento do que em 2009) e 82,2 milhões de euros (mais 11,4 por cento do que em 2009).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG