Pedro Mexia aplaude regresso do prémio à poesia, para autor "fortíssimo"

O poeta Pedro Mexia aplaudiu hoje o regresso do Nobel da Literatura à poesia, e considerou o vencedor, Tomas Transtroemer, um "poeta fortíssimo", apesar de ter ficado surpreendido com a eleição de uma obra de estilo lírico.

"Fico satisfeito por o Nobel da Literatura deste ano ter ido para a poesia, o que já não acontecia há uns anos. Surpreende-me que tenham escolhido um poeta lírico, porque do ponto de vista da poesia contemporânea, é um estilo que está fora de época", comentou à agência Lusa.

Tomas Transtroemer, 80 anos, é o poeta sueco mais traduzido no mundo e já foi galardoado, entre outros, com o Prémio Literário do Conselho Nórdico em 1990.

"Não era o meu favorito, mas não envergonha o Nobel da Literatura, porque é uma voz fortíssima", comentou ainda Pedro Mexia, que sublinhou também o facto do júri do galardão ter premiado a obra por si mesma, sem motivos políticos associados.

O poeta acrescentou que não conhece a obra de Transtroemer em grande profundidade, mas observou que na poesia do autor sueco estão muito presentes "motivos da natureza, com imagens fortes, e também é algo meditativo, espiritual, sem ser no sentido religioso".

Tomas Transtroemer sofreu um acidente vascular cerebral em 1990 que o deixou parcialmente sem fala, mas continuou a escrever. A primeira obra que editou, em 1954, intitula-se "17 poemas".

A cerimónia de entrega dos Prémios Nobel 2011 realiza-se no próximo dia 10 de Dezembro, em Estocolmo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG