Nuno Júdice: Atribuição do Nobel da literatura "é justa"

A atribuição do Nobel da Literatura ao poeta sueco Tomas Transtroemer é "justa", disse o poeta Nuno Júdice à agência Lusa, em reacção ao anúncio feito hoje pela Academia Sueca.

O autor de "O Breve Sentimento do Eterno" considera Tomas Transtroemer "um grande poeta", destacando "a relação dele com a Natureza".

"É uma poesia que marca uma época", acrescenta Nuno Júdice, por ter "um pensamento e uma filosofia com uma visão, um reflexo da realidade, que nos permite olhar de outra forma".

Nuno Júdice conhece Tomas Transtroemer "há uns anos", sobretudo através de traduções inglesas e francesas - "porque Transtroemer tem essa particularidade de não ter ficado fechado nas línguas nórdicas" - "embora não seja um poeta a que vá muitas vezes".

O escritor português considera "justo o Prémio Nobel regressar à poesia" e destaca o facto da Academia Sueca o ter feito "com um nome incontestável".

Tomas Transtroemer, 80 anos, é o poeta sueco mais traduzido em todo o mundo.

Começou a publicar poesia aos 23 anos e o seu primeiro livro intitulava-se "17 dikter" ("17 Poemas").

Em Portugal, Tomas Transtroemer está representado na coletânea "21 poetas suecos", editada pela Vega, em 1981.

Publicou cerca de 15 obras numa longa carreira dedicada à escrita e venceu numerosos prémios literários, como o Prémio Literário do Conselho Nórdico, em 1990.

Exerceu a profissão de psicólogo até 1990, ano em que sofreu um acidente vascular cerebral que o deixou parcialmente afásico e hemiplégico.

Vive actualmente numa ilha e continuou a escrever, tendo desde então publicado três obras.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG