John Le Carré pede para ser retirado de lista de prémios

O britânico John Le Carré, célebre pelos romances de espionagem, pediu hoje, quarta-feira, a retirada do seu nome da lista de finalistas do prestigioso prémio Man Booker, que distingue todos os anos um escritor pelo conjunto da obra.

O presidente do júri, escritor e comerciante de livros raros Rick Gekoski, anunciou ter recebido este pedido de John Le Carré uns 45 minutes antes do anúncio da seleção de autores ao prémio internacional.

"Estou muito lisonjeado por ter sido colocado entre os finalistas. Mas recuso-me a ser candidato a prémios literários e peço-vos para retirar o meu nome da lista", escreveu o escritor britânico ao júri.

Mas os membros do júri vão tomar uma decisão mais tarde, indicou Rick Gekoski.

"Admiramos muito John Le Carré e os seus livros, portanto vai continuar a figurar na seleção de finalistas divulgada em todo o mundo", justificou.

Os autores e editores não apresentam eles próprios uma candidatura a este prémio destinado a galardoar um escritor com trabalhos escritos ou traduzidos em língua inglesa pelo conjunto da obra. É o júri que faz a seleção.

"Tecnicamente, acho que ele não pode recusar estar na lista. Mas penso que não podemos entregar-lhe o prémio se ele for o vencedor e recusar", comentou o escritor sul-africano Justin Cartwright, também membro do júri.

A seleção do Man Booker de 2011 - com 13 autores - inclui pela primeira vez os chineses Wang Anyi et Su Tong.

O prémio será anunciado a 18 de Maio, em Sidney.

Anteriormente foram laureados a canadiana Alice Munro (2009), o nigeriano Chinua Achebe (2007) e o albanês Ismail Kadaré (2005).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG