Biografia revela que Vincent Van Gogh não se suicidou

O pintor holandês Vincent van Gogh (1853-1890) morreu alegadamente atingido a tiro por dois jovens, defende uma nova biografia sobre o artista, que contraria a teoria de que se terá suicidado aos 37 anos, escreve a BBC.

A biografia "Van Gogh: The Life", que chegou hoje ao mercado britânico, segundo a edição da BBC na Internet, é assinada por Steven Naifeh e Gregory White Smith, que passaram dez anos a esmiuçar a vida do pintor holandês e a contactar tradutores e investigadores.

Vincent Van Gogh morreu em França em 1890, aos 37 anos, e até agora vingava a teoria de que se terá alvejado num campo de trigo em Auberge Ravoux e que morreu dias depois por causa do ferimento.

Agora os autores da biografia garantem que Van Gogh não foi para os campos e trigo para se suicidar e que foi atingido acidentalmente por dois jovens que manejavam uma arma com problemas de funcionamento.

Van Gogh terá encoberto a história para não denunciar os rapazes, que possivelmente seriam acusados de tentativa de homicídio, e atribuiu a si a culpa do disparo, sublinham os biógrafos, que investigaram dezenas de cartas do artista que estavam por traduzir.

Para os dois autores, Van Gogh não procurava a morte, mas aceitou-a, num momento em que passava por dificuldades, não vendia as obras que criava e estava a ser financiado pelo irmão.

Mais Notícias