Barreto Xavier deseja que crise não impeça a leitura

O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, sustentou hoje que a falta de poder de compra de livros, suscitada pela crise, não deve ser impeditiva para a manutenção dos hábitos de leitura.

"Não podemos ignorar que as condições de maior dificuldade em que os cidadãos vivem, limitam as capacidades de aquisição de livros", afirmou, vincando que "não seja por causa da não aquisição" de livros, que "as pessoas deixem de ler".

"As oportunidades de leitura, felizmente, estão asseguradas", afirmou, numa referência à rede de bibliotecas públicas, como alternativa no acesso aos livros.

Jorge Barreto Xavier falava aos jornalistas, após a inauguração da 83.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, que este ano concentra, no Parque Eduardo VII, 241 pavilhões, representando 480 editoras e chancelas.

Numa curta intervenção, na sessão de inauguração, o secretário de Estado defendeu o "espaço necessário para a materialidade do livro", numa altura em que as vendas diminuem.

Em 2012, assinalou Barreto Xavier, vendeu-se em Portugal menos um milhão de exemplares de livros não escolares, comparativamente a 2011.

Sobre a Feira do Livro, considerou-a como "um grande acontecimento cultural" para o país e para a cidade de Lisboa.

A edição deste ano da Feira do Livro decorre até 10 de junho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG