Jay-Z usa música de José Cid e Tozé Brito em novo álbum

"É simpático, é bonito e é uma honra um artista deste estatuto" usar um excerto da nossa música, disse Tozé Brito ao DN, confessando-se surpreendido por o rapper norte-americano ter descoberto o tema, dos anos 1970.

O rapper norte-americano Jay-Z usou partes de uma música portuguesa no mais recente álbum, 4:44, lançado esta sexta-feira. Na faixa Marcy Me, o rapper incluiu excertos da música Todo o Mundo e Ninguém, do grupo Quarteto 1111. Tozé Brito, um dos integrantes da banda portuguesa dos anos 70, disse que "é uma honra".

"É simpático, é bonito e é uma honra um artista deste estatuto" usar um excerto da nossa música, disse Tozé Brito ao DN. O músico é um dos autores do tema Todo o Mundo e Ninguém, junto com José Cid, e garante que tudo foi feito de "uma forma perfeitamente limpa".

"A editora do Jay-Z ligou e perguntou se autorizávamos" o uso de um sample e "foi feita uma negociação", contou Tozé Brito, que é também administrador da Sociedade Portuguesa de Autor.

No álbum, Tozé Brito e José Cid constam como co-autores da música e os artistas portugueses vão receber parte dos direitos de autor da canção.

"O que nos surpreendeu muito foi ele ter descoberto uma canção de 1970 que só saiu em vinil e só foi reeditada num CD best of do Quarteto 1111 muitos anos depois, por volta dos anos 90", afirmou Tozé Brito. "É curioso como o Jay Z em 2017 vai descobrir isto".

Tozé Brito lembrou que a letra deste tema, agora remixado por um dos rappers mais ricos do mundo, era de uma peça de teatro de Gil Vicente, escrita no século XV. "Fomos buscar esse texto porque, com a censura, tínhamos de usar textos portugueses de séculos atrás que não eram censuráveis e que diziam o mesmo que queríamos dizer", explicou o músico, relembrando que vários dos seus discos foram censurados.

Na sua versão, Jay-Z manteve partes do piano e das vozes dos músicos portugueses. Oiça o resultado final.

Pelo Quarteto 1111 também passaram os músicos Mike Sergeant, Michel Silveira, António Moniz Pereira, Jorge Moniz Pereira, Mário Rui Terra, Guilherme Inês, Vítor Mamede, Rui Reis, Armindo Neves e Luís Duarte.

O álbum 4:44 é o 13º de Jay-Z e foi lançado esta sexta-feira exclusivamente no Tidal, plataforma criada pelo artista. Jay-Z é o segundo rapper mais rico do mundo, com uma riqueza avaliada em 820 milhões de dólares, cerca de 710 milhões de euros, segundo a Forbes.

O músico já venceu vários Grammys e foi eleito um dos melhores rappers de sempre pelo ex-presidente Barack Obama.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG