Greve nacional nos museus e monumentos durante a Páscoa

Funcionários exigem o reforço dos recursos humanos e a valorização das carreiras

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas anunciou hoje, em Lisboa, a convocação de uma greve nacional dos trabalhadores dos museus e monumentos para os dias 14 e 15 de abril, período da Páscoa.

Numa conferência de imprensa realizada junto ao Mosteiro dos Jerónimos, em Belém, cerca de uma dezena de dirigentes sindicais mostraram, na rua, uma faixa onde escreveram as principais exigências, entre elas o reforço dos recursos humanos e a valorização das carreiras.

Artur Sequeira, um dos dirigentes sindicais, disse à agência Lusa que a greve foi convocada depois de várias reuniões com o Governo não terem dado resposta às necessidades dos trabalhadores "que se arrastam há anos".

"Esperamos uma adesão forte, embora os trabalhadores já estejam a ser alvo de pressão para não fazerem greve", disse o dirigente sindical, estimando ainda que este setor envolve "largas centenas" de funcionários de museus, monumentos, palácios e sítios arqueológicos em todo o país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG