Escritor Haruki Murakami diz que protestos em Hong Kong "não foram em vão"

Murakami manifestou o seu apoio aos protestos de Hong Kong, afirmando que o que "fizeram pela democratização não foi em vão."

O romancista japonês Haruki Murakami lamenta que as manifestações de estudantes em Hong Kong tenham parado, mas acredita que os movimentos pró-democracia do ano passado não foram em vão.

Murakami manifestou a sua opinião através de uma página dedicada às perguntas dos leitores. Questionado por uma jovem de 22 anos que participou nos protestos entre setembro e dezembro de 2014, o escritor respondeu: "Lamento que muitas das coisas não se tenham passado como esperávamos. Mas aquilo que vocês fizeram pela democratização não foi em vão. Continua a ser um facto e ninguém o pode ignorar".

O escritor deixou ainda palavras de encorajamento à sua interlocutora, incentivando-a a "mudar o mundo, mesmo que seja só um pouco". "Têm o meu apoio", terminou.

Já em novembro, Murakami tinha deixado uma mensagem de apoio aos manifestantes de Hong Kong, comparando a sua luta com aquela que fez cair o muro de Berlim há 25 anos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG