Do centro de Sintra ao Palácio da Pena sem carros à vista

Percurso pedestre com pouco mais de um quilómetro liga desde sábado o centro da vila à entrada do Parque da Pena e do Castelo dos Mouros, revelando a recuperada Vila Sassetti.

Faltavam quatro horas para a inauguração do percurso pedestre que desde sábado liga o centro histórico da vila de Sintra à entrada do Castelo dos Mouros ou do Palácio da Pena e já os turistas o percorriam, fazendo a descida sem terem de se preocupar nem com carros nem com sol. As portas de acesso estavam abertas para que a equipa da Parques de Sintra ultimasse pormenores e quem passava explorava o caminho que permite descobrir alguns dos marcos já conhecidos da paisagem cultural de Sintra, revelando mais um: a Vila Sassetti.

O percurso tem pouco mais de um quilómetro, faz-se confortavelmente em cerca de 45 minutos (a subida). A descida, essa, pode demorar um pouco mais... para se desfrutar de cada recanto. Partindo do parque de estacionamento da Entrada dos Lagos do Palácio da Pena, a cerca de 200 metros da entrada principal, não tarda até que o Castelo dos Mouros se perfile contra o céu, como que exigindo uma fotografia. Ou simplesmente uma contemplação um pouco mais demorada. À esquerda, o Penedo da Amizade rivaliza. Uma imponente falésia de granito, com 45 metros de altura, muito procurada para a prática da escalada. Sabendo disso, a Parques de Sintra monitorizou e reequipou todos dos pontos de ancoragem, garantido a sua manutenção. "O Penedo da Amizade tem 72 vias com diferentes níveis de dificuldade, desde vias para iniciados às mais difíceis", explica Nuno Oliveira, diretor técnico para o património natural da Parques de Sintra - Monte da Lua (PSML).

Uma pequena plataforma de madeira, à esquerda, indica o início da descida. Por degraus de madeira e outros de pedra, contornando algumas rochas que invadem parte do trilho e fazendo a vénia a certos ramos vai-se palmilhando os trilhos que já existiam mas agora estão recuperados, a vegetação aparada. Até se chegar a um muro que antes separava o Castelo dos Mouros da Quinta da Amizade, comprada em 2011 por pouco mais de um milhão de euros pela PSML, empresa de capitais públicos que gere a paisagem classificada como Património da Humanidade pela UNESCO.

Leia mais na edição impressa e no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG