Direção-geral do Património considera "existir maior sensibilização" para setor

Manuel Lacerda, responsável da Direção-geral do Património Cultural (DGPC), disse à Lusa, a propósito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que se celebra na quinta-feira, que atualmente "existe uma maior sensibilização" para esta matéria.

"Existe uma maior sensibilização, mas não quer dizer que não tenha de existir muito mais", disse Manuel Lacerda que referiu, a propósito, "a campanha, muito bem feita e estruturada, para a educação ambiental", realizada há cerca de duas décadas, e da qual "se vêm agora os frutos".

"O reflexo dessa campanha [de sensibilização para a proteção do planeta] nota-se na geração que tem agora trinta anos", disse.

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios é celebrado desde 1982, e a proposta deste ano é que se evidencie "o Património, nas suas diferentes facetas, e a Educação, na sua vasta abrangência, focando a relação e a importância destas duas realidades paralelas", refere em comunicado a DGPC.

Manuel Lacerda afirmou que "o património é hoje mais falado", e um dos motivos para esse facto, assinalou, "é que o património é a bandeira com que se acena para os valores locais e regionais", também porque "tem a ver com a consolidação da identidade nacional e da identidade de cada pessoa, porque falar de património é falar de memória coletiva e individual".

A concertação de esforços entre a administração central, as autarquias e entidades privadas para celebrar o dia é apontada por Manuel Lacerda como "uma cartilha muito boa" e "um sinal muito positivo" para as práticas da cultura.

"Nós, administração central, lançámos o desafio e a resposta foi muito interessante, havendo 170 municípios que aderem ativamente e 298 entidades públicas e privadas", disse.

O património, argumentou, é também "um motor das economias regionais", tendo o responsável defendido como "essencial a interligação entre património, ambiente e turismo".

"Nós vemos um número crescente de empresas associado ao património edificado e ao ambiente", disse.

Referindo-se ao tema deste dia, Lacerda afirmou que "o património, edificado, arquivístico e imaterial ligado à educação está a ser trabalhado e estudado".

Relativamente ao património educacional, far-se-á "uma seleção no sentido do que apresentar maior valor, pela raridade e a excecionalidade da sua arquitetura, por exemplo, que possa vir a ser classificado".

Recentemente, o restauro do Liceu Passos Manuel, em Lisboa, construído em 1911, foi distinguido com um Prémio Europa Nostra, o que foi apontado pelo responsável como "um bom exemplo".

Os programas previstos para quinta-feira incluem diferentes atividades em torno do património, designadamente visitas guiadas, temáticas, com percursos orientados, espetáculos - deste recitais a solo a agrupamentos de música de câmara, coros, fados, dança, teatro, marionetas e teatro de fantoches -, a recriação de atividades tradicionais, exposições, palestras, conferências, rotas patrimoniais e itinerários culturais, recriações e encenações históricas, entre outras.

Na recriação das atividades tradicionais está previsto a produção de pão em forno tradicional, confeção de vestuário, rendas, bordados e acessórios à época, olaria, plantação de ervas aromáticas, cozinha de sabores beneditinos, ciclos do linho, vinho, azeite, a tradição de esfarrapar roupas velhas, construção de novelos para o tear.

"Peddy papers" e "rally papers" são outras atividades previstas assim como ateliers lúdicos e oficinas pedagógicas, edição de livros e catálogos, sessões de leitura de contos, poesia e lendas, maratonas fotográficas; concursos como o minijogo da Glória dos Monumentos, exibição de documentários e ainda a realização de feiras e festivais, nomeadamente Festival Tramontana que decorre até 27 de abril em S. Pedro do Sul, ou feira esotérica em Paderne, no concelho de Albufeira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG