"Tropa de Elite 2" arrebata oito prémios

O filme "Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro" foi o principal vencedor da 10.ª edição do Grande Prémio do Cinema Brasileiro, ao levar oito estatuetas, entre elas a de melhor filme e melhor realizador, além do galardão escolhido pelo público.

"O Brasil está vivendo um momento incrível no cinema, o mercado cresceu 30% no ano passado, na contramão do mercado americano, que vem diminuindo. Acho que é o público quem merece um prémio", declarou o realizador do filme vencedor, José Padilha, ao receber a estatueta de melhor filme na escolha popular.

"Tropa de Elite 2", nomeado em 16 categorias, conquistou oito prémios: melhor filme, melhor realizador, melhor actor principal (Wagner Moura), melhor actor secundário (André Mattos), melhor montagem, melhor guião, melhor produção e melhor fotografia.

O prémio de melhor actriz foi para Glória Pires em "Lula, o Filho do Brasil".

Na categoria de melhor actor secundário, o prémio foi partilhado com Caio Blat, pelo desempenho como Artur em "As melhores coisas do Mundo.

O filme "Chico Xavier", de Marcos Paulo, rendeu a Cássia Kiss o prémio de melhor actriz secundária, além do galardão de melhor guião adaptado.

O filme "José e Pilar", do realizador português Miguel Gonçalves Mendes, que concorria nas categorias de melhor documentário, melhor banda sonora e melhor montagem de documentário, não conquistou nenhum dos prémios.

O prémio de melhor documentário foi para o brasileiro "O Homem que engarrafava Nuvens", de Lírio Ferreira, enquanto a melhor banda sonora ficou nas mãos de Jacques Morelenbaum, por "Olhos Azuis".

"Dzi Croquetes", de Raphael Alvarez e Tatiana Issa, levou por sua vez o galardão de melhor montagem de documentário.

Mais Notícias