'O Hobbit': Os bons 'hobbits' nunca se devem perder

Chega esta semana às salas nacionais a primeira parte de 'O Hobbit', nova trilogoa realizada por Peter Jackson a partir do universo de fantasia de Tolkien.

Título: 'O Hobbit - Uma Viagem Inesperada'

Realização: Peter Jackson

Com: Martin Freeman, Ian McKellan, Richard Armitrage, Ian Holm, Elijah Wood, Hugo Weaving

Distribuidora: Zon Lusomundo

Classificação: 5 / 5

Sinopse: 60 anos antes da ação que vemos na trilogia 'O Senhor dos Anéis', o hobbit Bilbo Baggins, tio de Frodo, é desafiado por Gandalf a juntar-se a um grupo de 13 anões que procuram recuperar o tesouro (e a cidade) que um dragão lhes roubou.

Thorin, Dwalin, Balin, Fili, Kili, Dori, Nori, Ori, Óin, Glóin, Bifur, Bofur e Bombur. Acabei de enumerar: a) O alinhamento do Sport Club Reiquiavique; b) Os nomes dos anões a que se juntam Gandalf e Bilbo em O Hobbit. Se respondeu a), siga diretamente para a secção de Desporto do DN. Se respondeu b), é, tal como o autor destas linhas, um tolkieniano de casca e gema, e deve apontar ao cinema para ver O Hobbit - Uma Viagem Inesperada, de Peter Jackson, o primeiro filme dos três em que o realizador dividiu o livro de Tolkien, filmados em 3D, sem que daí venha - de novo - algo de especial em termos de deslumbramento cinematográfico.

Pedia-se a Jackson, nesta revisitação do universo de Tolkien, agora através de O Hobbit (livro que contém em potência O Senhor dos Anéis), que repetisse a detalhada, empática e empolgante visualização que tinha feito dele na trilogia dos Anéis , com a mesma qualidade técnica e uso dos efeitos especiais como serviçais ativos do "efeito de maravilhoso" da história, e das características do genial e complexo mundo de high fantasy erguido por Tolkien. É o que o realizador faz, uso do 3D à parte, como já referido (a cópia mostrada à crítica não foi a tão badalada a 48 fotogramas por segundo, pelo que não é aqui possível ajuizar das suas virtudes ou inconvenientes), com a ajuda de uma distribuição onde, além de caras já conhecidas como Sir Ian McKellen, Cate Blanchett, Christopher Lee, Hugo Weaving ou Andy Serkis (que na sua magnífica cena com Bilbo nas trevas da montanha dos gnomos, quase "rouba" o filme), avulta Martin Freeman metido na pele do jovem Bilbo como ervilha na vagem, e a referida coleção de combativos anões. Vai custar ao tolkieniano com carteirinha de sócio que acima se assina penar o ano que falta para ver A Desolação de Smaug.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG