Inês de Medeiros (PS) fala de "perda insubstituível"

A vice-presidente da bancada socialista Inês de Medeiros lamentou hoje a morte de Fernando Lopes, considerando que se tratou de "uma perda insubstituível" para o cinema português e que a vida cultural do país ficou mais pobre.

O cineasta Fernando Lopes faleceu hoje, em Lisboa, aos 77 anos, e é velado a partir de quinta-feira à tarde no Palácio das Galveias.

"Em nome do Grupo Parlamentar do PS e em meu nome pessoal lamento a perda de um grande realizador como era Fernando Lopes. De facto, estamos a viver um período negro e triste", comentou a vice-presidente da bancada socialista.

Em declarações à agência Lusa, Inês de Medeiros considerou que Fernando Lopes "deu um contributo inigualável ao cinema português e também à televisão, pois importa lembrar que trabalhou muito na RTP".

"Com a sua morte ficamos mais pobres. Até ao fim, Fernando Lopes trabalhou, criou e sempre procurou inovar ao nível das formas de se contarem histórias e de trabalhar com os atores, aproveitando os grandes escritores portugueses. A perda de Fernando Lopes é insubstituível", frisou Inês de Medeiros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG