Filmes mudos de Hitchcock integram a memória da Unesco

Os primeiros filmes mudos do realizador Alfred Hitchcock fazem agora parte do registo de memória da Unesco, para representar a riqueza e cultura da história do Reino Unido.

Os nove primeiros filmes mudos de Alfred Hitchcock deram entrada no registo de memória da Unesco, após a candidatura feita pelo Reino Unido em conjunto com mais 10 items importantes para a sua herança cultural, como o diário de Dorothy Wordsworth e alguns trabalhos de Thomas Hardy.

Os filmes, os primeiros e menos conhecidos da carreira do realizador, datam de 1925 a 1929 e foram restaurados digitalmente durante três anos pelo Instituto de Cinema Britânico (BFI) e incluem: The Pleasure Garden, The Lodger: A Story of the London Fog, Downhill, Easy Virtue, The Ring, The Farmer's Wife, Champagne, The Maxman e Blackmail. Um décimo filme mudo, The Mountain Eagle (1926), encontra-se perdido.

"Estamos muito contentes por ver que que os primeiros filmes de um dos mais conhecidos realizadores do mundo estão a receber o seu mérito ao lado de alguns dos melhores artefactos culturais do Reino Unido" disse Robin Baker, curador principal do Instituto do Cinema. Apesar de Vertigo (1958), Psycho (1960) e Pássaros (1963) estarem entre os seus trabalhos mais conhecidos, Baker reconhece que "estes filmes estão entre os maiores feitos da era britânica do cinema mudo e são como 'plantas' para o seu trabalho posterior".

Mais Notícias