Souto de Moura recebe prémio da Fundação Wolf em Israel

O arquiteto Eduardo Souto de Moura vai receber domingo, em Israel, o Prémio da Fundação Wolf 2013 para a área da Arquitetura, numa cerimónia que contará com a presença do presidente israelita, Shimon Peres.

Os prémios da Fundação Wolf são atribuídos desde 1978 nas áreas das artes e das ciências, distribuídos pelos campos da agricultura, química, matemática, medicina e física.

Na área das artes há uma rotatividade anual pela arquitetura, música, pintura e escultura, e Souto de Moura será o segundo português a ser distinguido com o galardão, depois de Álvaro Siza Vieira o ter conquistado em 2001.

Em janeiro deste ano a fundação israelita anunciou todos galardoados de 2013, entre eles o arquiteto Eduardo Souto de Moura, 60 anos, distinguido com o Prémio Pritzker em 2011.

Contactado pela Lusa, o gabinete de imprensa da Fundação Wolf indicou que a cerimónia de entrega dos prémios vai decorrer domingo, dia 05 de maio, às 17:00 locais (19:00 em Lisboa), no Knesset (parlamento), em Telavive.

Na cerimónia, além do presidente de Israel, Shimon Peres, estarão representantes do parlamento, e o novo Ministro da Educação israelita e presidente da Fundação Wolf, Shai Piron.

Este ano, os cinco prémios são repartidos por oito galardoados de quatro países: Portugal, Estados Unidos da América, Alemanha e Áustria.

Eduardo Souto de Moura foi escolhido pelo júri pelo contributo para "o progresso na arte e no campo da arquitetura".

Nascido em 25 de julho de 1952, no Porto, o arquiteto licenciou-se em 1980 pela Escola Superior de Belas Artes daquela cidade, integrando o grupo da chamada "Escola do Porto", com Fernando Távora e Álvaro Siza Vieira.

Iniciou atividade em 1980, ano em que recebeu o primeiro prémio pelo seu trabalho, atribuído da Fundação António de Almeida, seguindo-se outras distinções, como o prémio da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), em 1996, o Prémio Pessoa, em 1998, e o prémio Secil 2004, pelo projeto do Estádio Municipal de Braga.

Este ano também foram galardoados com os prémios Wolf, na área da física, Juan Ignacio Cirac (Alemanha) e Peter Zoller (Áustria), na matemática, ganharam George D. Mostow e Michael Artin (Estados Unidos da América), na química, foi dintinguido Robert Langer (Estados Unidos da América) e mais dois cientistas ganharam o prémio na área da agricultura, Jared Diamond e Joachim Messing (Estados Unidos da América).

Até hoje, a Fundação Wolf já distinguiu 253 cientistas e artistas de 23 países, alguns deles vieram a ser mais tarde galardoados com prémios Nobel.

O prémio consiste em 100 mil dólares (cerca de 77 mil euros) e um certificado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG