Exposição do Prado no Museu de Arte Antiga prolongada

A exposição de pintura do século XVII patente no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, em parceria com o Museu do Prado, vai manter-se até dia 06 de abril, anunciou hoje a entidade responsável pela divulgação da mostra.

A exposição, denominada "Rubens, Brueghel, Lorrain. A Paisagem do Norte no Museu do Prado" devia encerrar no final do mês mas, devido à grande afluência de visitantes, mantém-se mais uma semana, até dia 06.

"A exposição, que é pela primeira vez mostrada fora de Espanha, já recebeu mais de 65 mil visitantes", diz a empresa, no comunicado.

Há uma semana, no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), já tinham estado 60 mil pessoas para ver as 57 pinturas sobre paisagens, provenientes do Museu do Prado, em Madrid.

A exposição foi inaugurada a 03 de dezembro do ano passado e reúne, sobretudo, arte de mestres flamengos, holandeses e franceses.

A mostra é a primeira organizada no âmbito do acordo estabelecido entre os dois museus nacionais - o MNAA, em Lisboa, e o Museu do Prado, em Madrid -, que prevê a realização de exposições, com base no acervo das duas instituições.

"A Paisagem do Norte no Museu do Prado" reúne pinturas criadas por 31 mestres, provenientes sobretudo da antiga Flandres e da atual Holanda, como Rubens, Brueghel e Vlieger, e alguns franceses, como Claude Lorrain, que passou quase toda a vida em Itália, especializando-se na pintura de paisagem.

"Paisagem Alpina", de Tobias Verhaecht, "A vida no Campo" e "A Abundância", de Jan Brueghel, o Velho, "A Visão de Santo Huberto", pintada em colaboração com Rubens, "Cerco de Aire-sur-la-Lys", de Peeter Snayers, e "Bosque", de Simon de Vlieger, são algumas das obras que podem ser vistas no MNAA, agora até 06 de abril. Todos os dias, menos à segunda-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG