Afluência a exposição surpreende Joana Vasconcelos

A artista plástica Joana Vasconcelos confessou ter ficado 'surpresa e honrada' com a afluência de visitantes à sua exposição no Museu Colecção Berardo, em Lisboa, que bateu o recorde de visitas de outras exposições em Portugal.

'Fiquei mais que satisfeita, fiquei surpresa e honrada por ter tido tanta atenção por parte de tanta gente', disse à agência Lusa em Londres, onde inaugura na quarta feira a primeira exposição individual na capital britânica.

Fonte do museu disse que até ao final da exposição 'Sem Rede', a 18 de Maio, foram contabilizados 167 852 visitantes, interessados em ver obras feitas pela artista nos últimos 15 anos, algumas mostradas em Portugal pela primeira vez.

A afluência ultrapassou a de algumas exposições mais vistas de sempre no país, como a retrospectiva sobre Paula Rego apresentada em Serralves, em 2005, e que registou 157 mil visitas, e a mostra dedicada pelo museu da Fundação Calouste Gulbenkian, a Amadeo de Sousa-Cardozo, em 2006/2007, que ultrapassou 100 mil visitas.

No entanto, os museus de Serralves, no Porto, e da Fundação Gulbenkian, em Lisboa, são de entradas pagas, enquanto o Museu Berardo, em Belém, é de entrada livre, com visitas guiadas pagas.

Joana Vasconcelos atribui o sucesso, mais do que à sua obra em particular, ao desejo do público em ver artistas nacionais.  

'A minha exposição mostrou principalmente que os portugueses querem ter artistas, querem dar valor aos seus artistas, querem promover a sua cultura', afirmou.

Além de várias exposições internacionais e da presença em muitas colecções particulares e públicas importantes nos últimos anos, o trabalho de Joana Vasconcelos chegou também aos leilões em Londres em 2009.

'Coração Independente Vermelho 2', datado de 2008, foi arrematado em Londres por 148,5 mil euros, um ano após 'Coração Independente Dourado', ter sido recebido uma licitação final de 192 mil euros, naquela que foi a estreia da artista plástica nas salas de leilões internacionais.

Em Fevereiro, 'Marilyn', um par de sapatos gigantes feitos de panelas portuguesas por Joana Vasconcelos foi arrematado por 573 964 euros, mais do que triplicando a estimativa.

Apesar dos valores envolvidos, a artista considera os leilões um 'segundo mercado' e prefere concentrar-se nas exposições.

No leilão, sustenta, 'há um lado de situação inesperada em que nunca se sabe bem o que vai acontecer'.

'Aqui não, aqui há um corpo de obra, há uma galeria, há preços estabelecidos pelo mercado, é uma coisa mais séria', garante.

Para a exposição na galeria Haunch of Venison, dura até 25 de Setembro, coincidindo com a importante época do Verão, espera que os britânicos gostem do trabalho.

'Se são muitas ou poucas, não é isso que é importante', garante.

'O que é importante', vincou, 'é que uma nova cultura receba bem a minha obra e gosta dela e possa relacionar-se com ela'.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG