A energia do realismo da Roménia

Crítica a "O Exame", de Cristian Mungiu.

Não será um tema muito popular, sobretudo numa paisagem de ficção audiovisual dominada pela lengalenga diária, infinitamente repetida e repetitiva, das telenovelas - o certo é que na nossa Europa em crise há mesmo, nas mais diversas cinematografias, um impulso realista que tem dado origem a vários filmes apostados em contrariar os clichés (dramáticos, familiares, sexuais, etc.) com que é regularmente encenado o quotidiano.

A Roménia é uma das suas principais origens e Cristian Mungiu - vencedor da Palma de Ouro de Cannes com 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias (2007) - um dos seus mais brilhantes representantes.

Com O Exame, também este ano distinguido em Cannes (prémio de realização), Mungiu encena as relações pai/filha, numa situação em que ela pode estar à beira de conseguir uma bolsa de estudo para o estrangeiro... Através de um olhar frio, distante e contundente, este é um filme capaz de nos apresentar a banalidade do dia a dia, nela revelando os sinais que envolvem grandes clivagens geracionais, éticas e políticas.

Classificação **** Muito Bom

Mais Notícias

Outras Notícias GMG