35 horas ao relento para comprar o novo Harry Potter antes dos outros

Milhares de fãs acorreram à noite mágica da Livraria Lello para o lançamento mundial da obra de J.K. Rowling. Dia de festa dupla, com a livraria a apresentar-se renovada e os leitores ávidos de descobrir o novo livro da coleção

Entrou na livraria ainda antes da meia-noite de sábado, quando milhares ainda esperavam entre gritos e selfies na fila que serpenteava à porta e obrigou ao corte de algumas ruas na Baixa do Porto; subiu os primeiros degraus da famosa escadaria que inspirou a escola de Hogwarts e aí posou com o desejado livro. Perante os microfones e os flashes das câmaras, começou por sorrir, mas passados alguns momentos as lágrimas já lhe escorriam cara abaixo.

Patrícia Jones, lisboeta de 17 anos, chorava de alegria. Esperou 35 horas à porta da histórica livraria Lello & Irmão, local escolhido em Portugal para o lançamento mundial da obra, para ser a primeira pessoa no país a comprar Harry Potter and the Cursed Child - Parts I & II, o último dos oito livros da saga começada há 19 anos por J.K. Rowling - escritora britânica que viveu no Porto na década de 1990.

"Não vou conseguir ler o livro esta noite. Tenho mesmo de descansar. Dormi talvez uma hora na noite passada. Estive 35 horas aqui à porta, mas valeu a pena. Adoro Harry Potter e não poderia deixar escapar esta oportunidade. É uma sensação fantástica ser a primeira, nunca pensei conseguir. Amanhã pego no livro e talvez o leia todo de uma vez", disse esta estudante do 12.º ano que quer seguir o curso de Geologia.

Tal como ela, os primeiros dez tiveram direito à oferta de uma versão ilustrada de Harry Potter e a Pedra Filosofal. Porém, o objeto mais desejado era mesmo o novo livro que conta a história de Albus Severus Potter, filho do Harry Potter e de Ginny Weasley, uma obra desenvolvida por J. K. Rowling, Jack Thorne e John Tiffany e que retrata os 19 anos que se seguiram após o final de Harry Potter e os Talismãs da Morte - Parte 2.

Patrícia Jones veio com a irmã e algumas amigas, mas pernoitou sozinha à porta da livraria durante a longa espera - entre sexta-feira à tarde e a meia-noite de sábado - para ter a desejada obra de uma saga que acompanha desde criança. "Não li o primeiro livro porque quando foi lançado eu ainda não era nascida. Mas logo aos 2 ou 3 anos comecei a conhecer as personagens e parte da história. Desde aí, li todos os livros várias vezes e vi e revi os filmes também. Sou apaixonada pela história", revela ao DN a jovem, que veio vestida a preceito, com a capa e todo o traje com o brasão da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.

Cosplay ao estilo de Hogwarts

Não foi a única. Longe disso. Um corrupio de fãs, sobretudo jovens, cruzavam a passadeira vermelha à entrada da livraria envergando capas, chapéus, varinhas mágicas, cachecóis e camisolas de Hogwarts... Como Sofia Ramos, de 15 anos, que veio com os primos Beatriz, 14, e João Martins, 10, improvisando na farda. "Arranjámos os fatos. Uma capa era da minha avó, outra era da faculdade da minha mãe... O meu primo vestiu o blazer e traz o peluche que representa a cobra do Valdemort", contava. Uns passos ao lado, Sara Ferreira, de 17 anos, outra fã da saga, explicava também o seu entusiasmo pela moda do cosplay (vestir-se de acordo com as personagens): "A camisola fui eu que a fiz. Estampei ontem o brasão. A varinha também e a capa é daquelas dos miúdos quando são finalistas na escola."

Por sua vez, Anaïs da Silva e Joana Lobo foram ainda mais arrojadas. Pegaram num pedaço de tecido de um cortinado, criaram duas capas originais e tentam convencer outros fãs que frequentam uma espécie de concorrente portuguesa a Hogwarts. "Criámos a escola de magia Guardiões de Pégaso. Dizemos às pessoas que é uma escola portuguesa e que tem poucos inscritos ainda... Mas que fazemos os mesmos feitiços do que em Hogwarts", brinca Anaïs, para de seguida salientar que "o cosplay é das partes mais divertidas" deste tipo de concentrações.

E foram milhares os que na noite de sábado e pela madrugada de domingo acorreram à Lello, ícone turístico e cultural do Porto cuja renovação da fachada e vitral foi inaugurada precisamente nesse dia para coincidir com o lançamento mundial do mais recente livro de Harry Potter.

Segundo a organização, do Bairro dos Livros, projeto de animação literária e urbana do Porto, sustentada em números fornecidos de forma oficiosa pela polícia, terão acorrido às imediações da Lello "cerca de 15 mil pessoas" na noite do lançamento. Tudo obedeceu a uma rigorosa operação logística. Duas horas antes da abertura da livraria, à meia-noite, começaram as atividades com a companhia de teatro ACARO a interpretar personagens da saga, escaladores na fachada da livraria, feiticeiros, poções mágicas, banda sonora e muita memorabilia de Harry Potter.

"Temos aqui mais de 50 pessoas para levar a cabo esta organização: todo o nosso staff fez horas extra, cerca de 20 voluntários, gente da editora... E um total de 5800 livros para venda na livraria", explicava ao DN Pedro Pinto, administrador da Lello, na noite de sábado.

Já ontem, segundo a organização, foi possível saber que o número de livros vendidos no lançamento rondou os três milhares, mas podia até ter sido superado, segundo revelou ao DN Minês Castanheira, do Bairro dos Livros: "Era humanamente impossível manter toda a equipa a trabalhar durante a madrugada."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG