Atualidade

Opinião

Maria da Graça Carvalho

Para liderar é preciso saber ouvir

No final do Conselho de Ministros de 21 de janeiro, o primeiro-ministro fez uma afirmação preocupante, que passou despercebida no meio do turbilhão noticioso em torno das eleições presidenciais. Disse António Costa, questionado por um jornalista sobre o eventual arrependimento de não ter fechado as escolas mais cedo, que: "Nós adotamos as medidas em função dos dados que existem, não dos dados que existiram nem dos dados que imaginamos que venham a existir."

Maria da Graça Carvalho

Jorge Costa Oliveira

Hidrogénio verde, lítio e IPCEI

O projeto de produção em Portugal de hidrogénio verde em grande escala começa com uma empresa portuguesa de um cidadão holandês, Marc Rechter. Planeou o projeto, articulou com várias entidades, terá sensibilizado vários clientes potenciais na Holanda, na Alemanha e em países adjacentes. Apresentou o projeto de seguida ao governo português e, perante a reação positiva deste, promoveu a ligação a entidades da Holanda - do respetivo governo a off-takers do hidrogénio.

Jorge Costa Oliveira

Mais atualidade

Afonso Camões

Marcelo e a espada de Eanes

Ainda bem. E que o Senhor o acrescente!, diria a minha sogra da reeleição de Marcelo. Eu acrescento que, por mais que festejemos um e justifiquemos os outros, o problema é o outro - ou pior, são outros. Um é aquele que multiplicou por sete o número de votos arrebanhados à esquerda e à direita, resultado da incapacidade do sistema para responder às chagas dos nossos dias: desemprego, medo, miséria, fome, doença - o calvário de gente, muita gente, gente nossa, com rosto, o da desigualdade persistente, que gera populismos, violência e ódio. Em jogo, diante de nós, encontram-se duas lógicas: a dos partidos tradicionais e a da sociedade. As eleições de domingo demonstraram que elas deixaram de coincidir.

Afonso Camões

Desporto

  • Classificações
  • A Jornada
  • Resultados

V Digital

António Saraiva, presidente da CIP

"Já perdemos cerca de 200 mil empregos. Receio que este número dobre"

António Saraiva lidera a CIP, Confederação Empresarial de Portugal, há mais de uma década. Aquele a quem chamam o patrão dos patrões representa grande parte do tecido empresarial na concertação social. Alerta para lentidão e burocracia dos apoios e até sugere, para deixarmos de correr atrás do prejuízo, um Simplex Covid. Teme o fim das moratórias em setembro e lamenta que a vacinação não seja mais rápida para ganhar confiança.