O cogumelo volta a ser rei do Alcaide

Durante três dias, a aldeia do Fundão vai explorar o património fúngico do país em mais uma edição do Míscaros - Festival do Cogumelo. As iguarias gastronómicas são muitas neste evento que também vai homenagear Joe Best.

São mais de 300 as espécies de cogumelos que existem em Portugal e muitas delas, sobretudo as nascidas na Serra da Gardunha, estarão à prova no Míscaros - Festival do Cogumelo, que regressa hoje à aldeia do Alcaide, no Fundão, para dar a conhecer e a provar este alimento.

Durante os três dias, sob o mote "Alice no Mundo dos Cogumelos", os visitantes podem conhecer a envolvente natural da região, fortalecer a sua relação com a natureza, além de degustar diferentes receitas de cogumelos - como feijoada de míscaros, cogumelos recheados, tábuas de enchidos de cogumelos ou arroz de míscaros - nas mais de 50 tasquinhas da aldeia.

Uma destas especialidades, confecionada à base de cogumelos, será a vencedora do concurso de melhor prato do festival, decisão que caberá a um júri de que faz parte o crítico gastronómico Orlando Esteves.

Ao longo de toda a programação existem ainda várias sessões de live cooking protagonizadas pelos vários chefs que irão marcar presença no festival: José Júlio Vintém, Augusto Gemelli, André Apolinário, Maria Caldeira Sousa, Diogo Colaço, Duarte Batista e Flávio Silva. Todos irão apresentar as suas propostas na Arena Joe Best, que será inaugurada na abertura do festival pela chef Marlei Cardoso, numa homenagem póstuma ao chef. Joe Best, que morreu em setembro, abraçou o Míscaros desde a primeira edição, em 2009, tendo participado em inúmeras iniciativas do festival.

O Festival do Cogumelo quer também dar a conhecer o imenso património fungíco nacional, mais precisamente os cogumelos nascidos nas encostas da serra da Gardunha. Nesse sentido, realizam-se caminhadas e passeios micológicos, tendo especialistas como guias, bem como workshops e palestras onde se ensina, por exemplo, a identificar cogumelos silvestres ou a produzir cogumelos nutracêuticos.

Um evento com consciência social

No domingo, há um mega-almoço de arroz de míscaros para todos os que visitem a aldeia. Custa apenas um euro e metade desse valor reverte para um projeto social de apoio a Ângelo Querido, um jovem do Alcaide que luta contra a Esclerose Lateral Amiotrófica. O objetivo é reunir cerca de 20 mil euros para comprar uma cadeira de rodas.

Com a mesma consciência social, e de forma a promover a integração, a iniciativa "Cozinhar Diferente", pela mão do chef Ricardo Besteiro, promove a participação de jovens cozinheiros portadores de Síndrome de Down.

A organização está preparada para cenários com mais e menos visitantes, mas as expectativas são as melhores e aponta para um impacto na ordem dos 600 mil euros, só ao nível do evento.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG