Cachalotes adoram lulas e polvos. Nesta taberna do Pico, percebe-se

A Taberna do Canal fica na vila da Madalena e orgulha-se de oferecer o melhor da gastronomia açoriana. Serve carne também, claro, mas são os sabores do mar que se destacam.

Ter sentado ao meu lado o norueguês que se tornou o primeiro homem a ir aos dois polos e também a subir o Evereste e na mesma mesa, daquelas compridas, também estar um astronauta e uma cientista da NASA que controla os rovers que andam em Marte seria mais do que suficiente para tornar inesquecível o jantar na Taberna do Canal, na Madalena. Mas devo confessar que as lapas grelhadas, a caldeirada de lulas e a massada de mero que foram servidas só por si teriam feito daquela noite um belíssimo momento açoriano. Não faltam bons restaurantes na ilha do Pico, alguns deles também na Madalena, mas fiquei tão bem impressionado que até marquei mesa para um almoço na última semana de agosto, quando tenho bilhete de avião comprado para férias nos Açores.

Como o nome sugere, a Taberna do Canal tem vista para os oito quilómetros de oceano que separam o Pico do Faial, ou, dizendo de outra forma, a vila da Madalena da cidade da Horta. E como qualquer bom restaurante açoriano, a ementa traz os produtos do mar, mas também os da terra, a começar pela carne de vaca, com a Taberna do Canal a prometer um bife com um sabor único que suspeito tenha que ver com os terrenos vulcânicos (mais evidentes ainda no Pico) e a influência dos ventos atlânticos nos prados.

Se o almoço vai ser em família, depois de uma viagem de observação aos cachalotes que costumam alimentar-se nas águas próximas (de lulas e polvos), o jantar foi com Erling Kagge, Richard Garriott e Nina Lanza, participantes na Glex Summit 2021 que se realizou em Lisboa e Ponta Delgada, em julho. A partir de São Miguel, a organização conjunta do Clube de Exploradores de Nova Iorque e da Expanding World do português Manuel Vaz decidiu uma ida ao Pico para que alguns dos participantes fizessem a escalada da montanha que dá nome à ilha. Kagge, que horas antes estava a conversar comigo sobre Roald Amudsen enquanto comia umas lapas, foi um dos que se atreveram à escalada noturna. Contaram-me que os 2351 metros da montanha mais alta de Portugal foram para ele um passeiozinho.

Não me recordo se o norueguês bebeu muito ou pouco do vinho do Pico que nos foi servido na Taberna do Canal, mas recomendo que um almoço ou jantar seja acompanhado por vinhos locais, "todos uma maravilha", diz Fernando Ferreira, dono juntamente com Rosa Cabral deste restaurante que na semana passada ganhou da Trip Advisor o Prémio Escolha dos Viajantes. Ele é de Leiria e apaixonou-se pelos Açores a ponto de ficar a viver, ela é da maior das nove ilhas, São Miguel.

Não se vá embora, por muito reconfortado que esteja, sem provar a tarte de mel, a sobremesa que também ajuda à fama deste restaurante do Pico. É o que farei daqui a uns dias, confesso que já a pensar nas lapas grelhadas e sobretudo na caldeirada de lulas.

leonidio.ferreira@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG