7 dias, 7 propostas pelo engenheiro Miguel Barbas

1. Monumentos
Forte da Graça, Elvas
Santuário Endovélico, Alandroal
Domingo, 5 de dezembro


Perdido e desconhecido de muitos, em Elvas existe uma das maiores Fortalezas Abaluartadas da Europa, que foi reabilitada no ano de 2015, tendo eu sido um dos autores do projeto de reabilitação.
O local onde o Forte da Graça foi construído foi desde sempre bastante importante. Ainda no séc. XV aqui se situava a pequena ermida de Santa Maria da Graça, cuja reedificação na altura se deveu à bisavó de Vasco da Gama, e na Guerra da Restauração, em 1658, os espanhóis construíram aqui um reduto para atacar a cidade de Elvas.
Mais de onze hectares para se perder e deslumbrar com muralhas, a Casa do Governador e uma vista sobre o Aqueduto da Amoreira.
Um dos castelos ainda por recuperar de Portugal, merece ser visto ainda na sua fase de recuperação, perdendo-se a noção do tempo, com uma vista inigualável pelo Alqueva.
Um dos maiores segredos do Alto Alentejo, mais concretamente no concelho do Alandroal, onde existe um povoado e dos mais antigos Santuários de Endovélico, um local que nos remete para os nossos maiores antepassados da Lusitânia.

2. Restaurantes
Marisco no Alentejo
Restaurante El Cristo, em Elvas
Segunda, 6 de dezembro


Numa das vilas mais preservadas do Alentejo, o Alandroal, existe uma pequena adega, a do Ramalhos com potes de talha, tradicionalmente alentejana, onde se pode provar um dos melhores cozidos com carnes alentejanas criadas na região à base de bolota. Os vinhos da região desde Borba a Reguengos, fazem parte da carta. Assim como o imperdível pudim de ovos.
Visto que o almoço foi tradicionalmente alentejano, e contra tudo que seria de esperar, percorrendo 30 quilómetros, até em Elvas, encontramos um dos melhores restaurantes de marisco do país, mesmo sendo no interior. A sapateira recheada, a santola recheada, os camarões tigre ou qualquer peixe escalado metem inveja aos restaurantes à beira mar plantados. É daquelas situações de vida em que tem de se experimentar para acreditar.

3. Vinhos
Tinto
Reserva do Comendador Tinto 2017
Adega Mayor
Terça, 7 de dezembro

Percorrer o Alentejo e não visitar adegas seria um crime. Produzidos na Adega Mayor, os vinhos são o resultado da paixão do Comendador Rui Nabeiro e isso nota-se em qualquer um dos que aqui nascem. Mas este é deveras especial e inesquecível.
Desde uma prova numa adega atual, e a deliciar-se mais uma vez com a paisagem alentejana, abrir um vinho é sem dúvida uma experiência de partilha, de amizade, familiar ou mesmo de introspeção pessoal, que nos remete para a sua essência e aroma.

4.Ver
Netflix
O Sucessor (2018)
Malena, (2000)
Quarta, 8 de dezembro

Passados os dias no Alentejo, de regresso a Lisboa e em feriado, a opção seria o que mais fizemos (possivelmente todos) nos últimos dois anos: assistir Netflix.
Uma das séries que me marcou, O Sucessor, realizada na Galiza, explora um enredo onde a personagem principal, um Narco, sofre de Alzheimer. Um estilo de vida fora do normal, aliado a uma doença que cada vez é mais comum, faz pensar as ligações familiares e a forma com que estas doenças mentais atingem o seio familiar, mesmo sendo num meio de narcotraficantes.
A segunda opção: um filme italiano, Malena (2000), conta a história da mais bela mulher de Castelcuto, uma vila siciliana, numa Itália atormentada pela II Guerra Mundial. Quando o marido parte para o campo de batalha, cada passo que Malena dá é acompanhado pelos olhares de desejo dos homens e pelo olhar invejoso das mulheres.
Explora o estigma da beleza da mulher. Como pode ser prejudicial ao longo de toda a sua vida, simplesmente pela sua beleza.

5. Livros
Casa
Sinta-se em Casa, de Frida Ramstedt
Aprende Feng Shui, de Isabel Sanchez Riviera
Quinta, 9 de dezembro

Termos passado tanto tempo em casa, fez com que olhássemos para as nossas casas de outra forma, uma vez que passaram a ser essenciais.
O primeiro livro sugerido explica de uma forma didática, e sem ser necessário bases de arquitetura ou design de interiores, a perceção do espaço e do que devemos ou não fazer nas nossas divisões. Desde a forma de colocar uns quadros na parede, um tapete ser ou não de riscas e tornar a sala maior ou menor.
Já o feng shui aplicado ao design de interiores e arquitetura é essencial numa casa.Quem de nós nunca olhou para trás num longo corredor? Uma cama virada para uma porta, um sofá mal posicionado, espelhos mal colocados não deixam fluir a energia, tornando a casa desconfortável. Este livro fornece dicas a principiantes da área, que são deveras preciosas e fáceis de aplicar.



6. Lisboa
Baixa, Elevador de Santa Justa e Largo do Carmo
Sexta, 10 dezembro

Nesta altura do ano, entrar no fim de semana, na baixa de Lisboa, ver as iluminações de Natal, subir o Elevador de Santa Justa (o qual tive a honra de ser um dos autores da reabilitação), percorrer o largo do Carmo e ir até aos Armazéns do Chiado, que nos fazem entrar no espírito natalício.

7. Passeio
Quinta da Regaleira
Cabo da Roca e Sintra
sábado, 11 de dezembro


Entrar no sábado numa das estradas mais bonitas do País, desde a Marginal até ao Cabo da Roca, visitar o ponto mais ocidental do continente europeu, apreciando-se a grandeza do oceano Atlântico.
Em 7 dias, num país facilmente atravessável, acabamos como começamos, num local histórico, a Quinta da Regaleira.
A uma pequena distância do centro histórico de Sintra, encontramos um edifício de arquitetura do 1904, com luxuriantes jardins, lagos, grutas e construções enigmáticas. Consegue conciliar num único espaço elementos alquímicos, templários e Rosa-cruz, evocando a arquitetura românica, gótica, renascentistas e manuelina, num único edifício.


Escolhas e sugestões pelo engenheiro Miguel Barbas

Mais Notícias

Outras Notícias GMG