Robôs ultravioleta são a nova arma europeia contra o vírus

São capazes de eliminar 99,99% dos patógenos presentes num espaço fechado e sem intervenção humana. UE prevê comprar cerca de 200 dispositivos para doar a hospitais europeus.

Cerca de 200 hospitais públicos espanhóis estão entre os primeiros a receber da Comissão Europeia os chamados "robôs esterilizadores", dispositivos que combinam duas tecnologias conhecidas - radiação ultravioleta e robótica. É a possibilidade de esterilização sem intervenção humana num tempo que é de pandemia, sublinha o El País.

"Os robôs ajudam a limitar a propagação do vírus ao mesmo tempo que protegem os profissionais de saúde e os doentes e evitam que os trabalhadores da limpeza estejam expostos aos riscos associados ao processo de desinfeção", defende a Comissão Europeia.

Estes robôs são capazes de eliminar 99,99% dos patógenos presentes num espaço fechado.

Dispositivos semelhantes já "foram utilizadas com êxito em hospitais na Europa e no mundo", reforça a Comissão Europeia.

Os primeiros robôs esterilizadores incluídos no plano são desenvolvidos pela empresa dinamarquesa Blue Ocean Robotics em colaboração com hospitais da região de Odense.

Na UE, foi a Direção-Geral da Sociedade da Informação - um dos objetivos é apoiar a indústria europeia na nova era da digitalização - que promoveu os dispositivos.

No dia 23 de julho, a Direção-Geral da Saúde lançou o projeto-piloto, que prevê "adquirir cerca de 200 robôs para doar a hospitais europeus", segundo a ata consultada pelo El País.

De acordo com a UE, 500 hospitais já se mostraram interessados nos robôs. "Serão distribuídos de acordo com a situação epidemiológica e as necessidades expressas por cada país", indica a UE.

Espanha tem sido um dos países que mais se interessou pela iniciativa. Outros, como Suécia e Alemanha, exigiram mais informações.

"Sem serem uma tecnologia nova, a grande vantagem é que emitem radiação de dispositivos autónomos e seguros. O difícil pode ser encaixarem-se na dinâmica diária de muitos serviços de um grande hospital ", explicou um responsável de tecnologia de um hospital público de Madrid.

A comissão quer distribuir as primeiras 50 unidades em novembro e depois "acompanhar as entregas a uma média de 50 unidades por mês".

No entanto, serão necessários mais dispositivos: um hospital com cerca de 300 camas exige uma dezena de robôs.

De acordo com um responsável da empresa Blue Ocean Robotics, "um robô só precisa de cerca de dez minutos para esterilizar um quarto de hospital".

Mais Notícias