Bélgica comprou um milhão de testes que não cumprem metas de segurança

Kit foi comprado no início de abril mas não cumpre as metas mínimas para ser considerado de confiança, indica um estudo dinamarquês conduzido por 38 cientistas.

A Bélgica comprou um milhão de testes para avaliar a presença de anticorpos contra a covid-19 cujos resultados, afinal, não são de confiança, é o que indica um estudo dinamarquês que comparou dezasseis testes serológicos.

Segundo o jornal La Libre Belgique, no início de abril, Hugues Malonne, diretor-geral da Agência Federal de Medicamentos e Produtos de Saúde belga, garantiu que o kit de teste DiaSorin tinha "uma sensibilidade e especificidade de 100%", garantia o fabricante.

Os testes serológicos são usados ​​principalmente em profissionais médicos para apurar se desenvolveram anticorpos contra a doença e se podem trabalhar nos serviços de covid-19.

O estudo, que foi realizado por 38 cientistas de vários hospitais universitários e centros de investigação na Dinamarca, contesta, contudo, a confiabilidade dos testes.

Com uma especificidade (grau em que um teste identifica corretamente amostras de sangue sem anticorpos) de 97,2%, o teste DiaSorin é o único kit que não atinge a meta mínima de 99%.

A sensibilidade (grau de deteção de amostras de sangue contendo anticorpos) de 84,6% também é indicada.

Philippe De Backer, ministro encarregado de coordenar os meios materiais no combate à pandemia, sublinha que "dois estudos de validação conduzidos corretamente confirmam o desempenho do teste DiaSorin".

Esclarece também que em abril a intenção era "garantir testes de qualidade suficiente para o mercado belga, a fim de evitar faltas futuras" e "não selecionar o melhor teste".

Mais Notícias