Medicamento com 1000 anos pode ser alternativa aos antibióticos

A mistura de alho, cebola, vinho branco e ácidos biliares foi encontrada por cientistas num livro antigo guardado na Biblioteca Nacional do Reino Unido.

A resistência aos antibióticos é um dos grandes problemas que os cientistas enfrentam atualmente, uma vez que o seu uso habitual tem tornado as bactérias cada vez mais resistentes a estas drogas. A estimativa é que venham a morrer 10 milhões de pessoas por ano até 2050 devido à menor eficácia destes medicamentos. No entanto, é num manuscrito medieval que poderá estar uma pista para a solução para o problema.

Trata-se de um medicamento natural com 1000 anos de idade e que é feito a partir de uma mistura de cebola, alho, vinho e ácidos biliares e que demonstrou possuir um potencial antibacteriano. Os cientistas dizem que é capaz de tratar infeções nos pés e nas pernas causadas pela diabetes. O grande trunfo é que parece ser eficaz a combater as bactérias resistentes a antibióticos.

Esta mistura medieval foi identificada pela primeira vez e usada como uma arma na batalha contra as superbactérias em 2015, e o mais recente estudo da revista Scientific Reports, citada pela CNN, refere que os cientistas estão agora concentrados em obter mais informações sobre o remédio ancestral para que este possa ser usado clinicamente.

A mistura estava descrita no meio de outras receitas de medicamentos, pomadas e tratamentos no "Bald's Leechbook", um antigo livro em couro inglês e que está guardado na Biblioteca Nacional do Reino Unido. É um dos primeiros textos médicos conhecidos.

Os cientistas fizeram a mistura com alho e cebola comprados em supermercados e usaram vinho branco inglês. Os ácidos biliares usados na mistura contemporânea eram provenientes do estômago de uma vaca.

Investigar livros históricos para encontrar novas curas para doenças comuns não é algo tão raro, lembra a CNN. A Artemisinina, uma droga usada contra a malária e que tem origem na planta de absinto, foi descoberta por uma investigadora chinesa, Tu Youyou, depois de ter lido textos chineses antigos.

O "Leechbook de Bald" também apresentava um remédio para a malária que usava absinto - a doença tornou-se uma epidemia em algumas partes de Inglaterra no início do período medieval.

Na verdade, de acordo com os cientistas, existem muitos caminhos diferentes para o fabrico de novos antibióticos bem como tratamentos alternativos a estes. Desde o mel e vinagre até ao sangue dos dragões-de-comodo, existem várias abordagens que usam vírus para atingir bactérias que resistiram a antibióticos sofisticados.

Mais Notícias